Arte & Lazer, Literatura

Em Diadema, Trabalhadores da Legas Metal lançam livro de poemas

Durante os encontros,  os colaboradores tiveram contato com diversos estilos literários. Foto: DivulgaçãoAcontece hoje (25), às 17 horas, o lançamento do livro “Inesperado – no chão da Fábrica explode Poesia”, coletânea de poesias escritas por trabalhadores da metalúrgica Legas Group, em Diadema, resultado de um dos projetos culturais desenvolvidos na empresa, o Usina Literária.

O livro reúne poesias de 12 trabalhadores que frequentaram encontros literários mediados pelo músico e poeta Carlos André. Para escrever os textos, os novos poetas tiveram contato com as obras de Paulo Leminski, Millôr Fernandes, Frank Kafta; Lygia Fagundes Teles, João Cabral de Mello Neto, Cora Coralina; Patativa do Assaré, Mário Quintana, entre outros, perpassando por diversificados estilos literários.

Ao longo de quatro meses, os escritores e poetas da Legas, após cumprirem a jornada de trabalho, tiveram encontros semanais em um salão da indústria, para reflexão literária. O projeto envolveu diversos departamentos da empresa, responsáveis por organizar o espaço para receber os colaboradores. Inicialmente programados para ter uma hora, a pedidos dos trabalhadores os encontros ganharam mais 60 minutos.

“No começo, havia certo estranhamento até dos participantes. Pessoas que há muito tempo não se dedicavam a ler e escrever, não tinham contato com a palavra literária”, explicou o poeta. Pela primeira vez atuando em uma oficina dentro de uma fábrica, Carlos André relatou que viu, aos poucos, o despertar do interesse de cada um dos participantes. “Ninguém desistiu, até o fim da oficina”, pontuou.

Parte de seu processo de pesquisa na produção literária, Carlos André procurou incentivar os participantes da oficina a revelar o que os motivava, os incomodava, para que sugerissem os temas de suas composições. “A disposição para a beleza está dentro de todas as pessoas. É preciso apenas ter a chance de entrar em contato com ela”, destacou. “Iniciativas como essa não deveriam ser a exceção. Interferir no sistema, na lógica de produção, por meio da literatura, da poesia, deveria ser um recurso mais comum e frequente”, afirmou.

Experiência

A ajudante geral Meriane Santos da Silva foi uma das trabalhadoras que participou das oficinas. Apesar de gostar de escrever, Meriane relatou que nunca se imaginou fazendo poe­sias. “Achava que poesias eram apenas sobre amor. Pretendo continuar escrevendo. Depois dessa experiência, enxergo as coisas de forma diferente. Ao mesmo tempo em que vejo tudo, também não vejo nada. Ampliou os meus horizontes”, pontuou.

O presidente da empresa, Nelson Miyazawa, destacou que o objetivo do projeto foi demonstrar que qualquer pessoa, tendo as condições adequadas, é capaz de produzir literatura. “Acho que nesse formato, um livro feito por trabalhadores, é uma coisa inédita. Apostamos, acompanhamos de perto, contratamos um profissional competente para conduzir e estamos muito felizes com o resultado”, afirmou. A publicação do livro foi paga com recursos do Programa de Ação Cultural (PROAC), obtidos por meio de edital.

Serviço – O lançamento do livro “Inesperado, no chão da fábrica explode poesia” acontece hoje (25), às 17 horas. A Legas Group fica na Rua José Bonifácio, 1189, bairro Conceição, em Diadema.

um comentário

  1. cleonice oliveira andré

    Parabéns meu filho Carlos André por mais essa iniciativa de dar oportunidades as pessoas de poder mostrar que todos tem talendos isso é maravilhoso lindo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*