Diadema, Minha Cidade, Sua região

Eletropaulo faz blitz de segurança em Diadema

Simulador acoplado à van mostra os riscos de se aproximar dos fios. Foto: Divulgação/Eletropaulo

A Eletropaulo realizou, na última semana, blitz de segurança no Jardim Canhema, em Dia­dema, como foco em obras. O Diário Regional acompa­nhou a ação, a quarta realizada no ABC, voltada à conscientização sobre os perigos da rede elétrica, comandada pelo agente pa­lestrante Marcelo Souza Lima, com apoio da agente de campo Mari Araújo. Os acidentes mais comuns com a rede envolvem traba­lhadores da construção ci­vil.

“Durante a blitz visitamos obras e chamamos a atenção dos trabalhadores para a importância de se manter distância dos cabos de alta tensão da rede elétrica, principalmente nas construções de dois ou três pavimentos, que ficam mais próximas a esses fios. Pelos três fios de cima do poste passam 13.800 V, que criam um campo magnético invisível de 1,5 me­tro ao redor, onde já é possível tomar choque. Então, o ideal é manter três metros de distância para garantir a segurança” afirmou Lima.

Para intensificar o aprendizado, em uma van personalizada é possível simular situações de contato indevido com a fiação.
Cícero Adevanio Vieira, que participou da palestra, traba­lha com construção há 18 anos e afirmou que é muito importante esse tipo de ação. “Eu não sabia dos três metros de distância. A partir de agora vou ficar mais esperto e tomar mais cuidado”, afirmou Vieira.

Tiago da Silva Vieira afirmou que desconhecia os riscos de tra­balhar perto dos fios. “Não conhecia sobre esses perigos. Agora, quando ver uma colega correndo perigo, vou explicar o que aprendi”, pontuou o jovem, que trabalha há um ano com reforma de residências.

Segundo Lima, o trabalho que desenvolve há cinco anos é muito compensador. “Primeiramente, me sinto muito orgulhoso de estar fazendo este trabalho. A genter vê a alegria das pessoas de aprender alguma coisa que não sabiam e que essa informação pode salvar a vida dela. Em segundo, esse trabalho modifica um pouco o conceito que as pessoas têm da Eletropaulo, que está muito ligada a corte de energia. Esse tipo de trabalho tem rendido elogios, o que facilita até na hora dos clientes procurarem resolver problemas com a empresa”, afirmou.

Lima destacou que o mais importante, seja para o traba­lhador da construção, seja para o consumidor residencial, é a prevenção. “Devemos sempre pensar um passo à frente. Será que se eu me aproximar da rede vou correr risco? Vai, sim. Nunca se deve levar nada em direção aos fios”, pontuou.

 SOLTANDO PIPAS

Durante a ação, Lima aproveitou para orientar alguns jovens sobre como “soltar pipa de maneira saudável”. “O legal de brincar com pipa é ‘o baile de fugir do outro’. É uma brincadeira sadia. Porém, a ga­lera costuma passar cerol, pó de ferro, pó de alumínio, para cortar a linha mais fácil. Com esse tipo de material, caso o pipa se aproxime da rede pode ocorrer uma descarga elétrica, acarretando em acidente grave”, pontuou Lima, ao destacar que “não se deve em hipótese nenhuma tentar resgatar o pipa que ficar preso na rede elétrica, pois pode custar a vida”.

O bombeiro civil Felipe Melo, pai de Marco Antonio, 8 anos, afirmou ser importante realizar esse tipo de ação na região, que por ser muito po­pulosa, as crianças costumam brincar nas ruas. “Dá para observar muitos vestígios de pipa nos fios. Até por ser um bairro mais afastado, as crian­ças procuram um diversão mais barata e acabam vindo para o pipa. Seria bom levar a criança para um campo aberto, para uma praça, mas muitas vezes não dá. Então, essa é a importância desse trabalho de conscientização”, pontuou.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*