Esportes, Futebol, Paulistão

Elenco do Palmeiras se fecha por Baptista depois de críticas da torcida

O setor norte do Allianz Parque não esperou o primeiro tempo da partida Palmeiras e São Bernardo chegar ao fim. Torcedores pressionaram o técnico Eduardo Baptista pedindo títulos em 2017. Depois, o nome de Cuca foi entoado pela maior torcida organizada do clube – do lado oposto, alguns vaiavam a atitude.

Baptista recebeu apoio dos jogadores palmeirenses. Foto: Cesar Greco/Agência PalmeirasO tom crítico foi mantido na etapa final, desta vez com torcedores comuns localizados atrás do banco de reservas. Bastou Baptista chegar perto da grade que separa as cadeiras do campo para quatro espectadores gritarem contra o treinador.

A situação do comandante alviverde foi mencionada pela maioria dos jogadores ao fim da vitória por 2 a 0. Felipe Melo foi o mais contundente. Segundo o volante, o elenco do Palmeiras “está fechado” com Baptista.

“Estamos fechados com o treinador. Somos Palmeiras, um elenco forte. É preciso dar tempo ao tempo. O importante é que nos recuperamos da derrota rapidamente”, disse o jogador, referindo-se ao duelo de amanhã com o Linense.

A postura do time alviverde já veio à tona durante a comemoração do primeiro gol. Depois de balançar a rede, Dudu não celebrou e correu em direção ao treinador. Depois do apito final, o meia-atacante disse que os atletas estão tentando ajudá-lo.

Prass também saiu em defesa do treinador. Disse que as dificuldades do Palmeiras no começo da temporada passam também pelos jogadores, que precisam colocar em prática o que foi trabalhado no CT.

“O trabalho dele é avaliado em cima da nossa atuação. Ninguém vai no CT durante a semana ver o treino para avaliar o treinador. Trabalhar bem na semana não adianta nada se não desenvolver no jogo. Nós temos a responsabilidade de fazer o que ele está pedindo”, afirmou o goleiro.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*