Editorias, Notícias, São Paulo

Doria pede a cidadãos que não se dirijam ao litoral no feriado de Páscoa

Doria pede a cidadãos que não se dirijam ao litoral no feriado de Páscoa
Doria: “O sistema de saúde das cidades que compõem (a região) não está preparado para súbito aumento de demanda”. Foto: Divulgação/GESP

O governador João Doria (PSDB) fez um pedido para que a população evite as viagens durante o feriado da Páscoa, “exceto em casos extremos ou de real necessidade”. “As pessoas que estão pensando em viajar, por favor, deixem de pensar nisso e fiquem em suas casas”, disse o tucano, durante entrevista coletiva concedida no Palácio dos Bandeirantes.

Doria afirmou que o governo não vai adotar medidas de restrição nas estradas durante o feriado, mas sim de recomendação. Segundo o tucano, “há um pedido de todos os prefeitos das cidades do litoral para que as pessoas não se dirijam à baixada”. “O sistema de saúde das cidades que compõem (a região) não está preparado para súbito aumento de demanda se isso ocorrer”, disse. “Fiquem em casa”, completou.

O governador  disse que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, é “fundamental” para o combate do novo coronavírus “exatamente onde está”. Doria manifestou o desejo de que o chefe da pasta mantenha o cargo e descartou que teria interesse em convidá-lo para compor o secretariado em São Paulo.

No início da semana, houve incerteza em torno da continuidade de Mandetta no governo após choques entre o ministro e o presidente Jair Bolsonaro em torno de recomendações para o combate ao coronavírus.

UIP

Doria criticou o que chamou de “milícias virtuais” que estariam atacando médicos, entre eles o chefe do Comitê contra a Covid-19 no Estado de São Paulo, David Uip. Recuperado da doença, Uip voltou a trabalhar nesta semana. Em redes sociais, Bolsonaro questionou se o médico usou cloroquina no tratamento contra a doença.

“Peço respeito à medicina e aos médicos. Nossa guerra é contra o coronavírus. O ministro Mandetta vem cumprindo bem sua função como ministro da saúde. Não faz sentido atacar o médico David Uip, pelo chamado gabinete do ódio, nem o doutor Roberto Kalil. Por favor, respeitem os médicos e a medicina, os enfermeiros, aqueles que estão doando seu conhecimento e dedicação para ajudar as pessoas a manter sua saúde”, disse Doria.

Usando suas redes sociais, Bolsonaro fez referência a Uip, a quem tem pressionado para que revele se utilizou ou não a cloroquina durante seu tratamento. “Dois renomados médicos no Brasil se recusaram a divulgar o que os curou da Covid-19. Seriam questões políticas, já que um pertence a equipe do governador de São Paulo?”, questionou. “Acredito que eles falem brevemente, pois esse segredo não combina com o Juramento de Hipócrates que fizeram. Que Deus ilumine esses dois profissionais, de modo que revelem para o mundo que existe um promissor remédio no Brasil.”

Print Friendly, PDF & Email

2 Comentários

  1. Mauro Romano

    Excelente orientação. Somente assim conseguiremos frear o vírus.

  2. O mais importante agora é seguir a orientação da Organização Mundial da Saúde e evitar ao maximo o contato social.
    Nós estamos fazendo a nossa parte.
    #fiqueemcasa

Deixe eu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*