Editorias, Notícias, São Paulo

Doria autoriza retorno de times paulistas aos treinos em 1º de julho, mas espera desagrada FPF

Doria autoriza retorno de times paulistas aos  treinos em 1º de julho, mas espera desagrada FPF
Doria disse que protocolo refere-se aos treinos e que volta de jogos será avaliada depois. Foto: Governo do Estado de SP

O governador João Doria (PSDB) deu ontem (17) aval às equipes da elite do Campeo­nato Paulista para retomar os treinamentos a partir de 1º de julho. A liberação impõe protocolo de segurança que prevê tes­tagem periódica de atle­ta­s e demais profissionais dos clubes, além de medidas de distanciamento durante as atividades individuais, as primeiras a serem autorizadas. Ainda não há data definida pa­ra o retorno do Estadual.

Porém, a espera de duas se­­manas para a retomada das ati­vidades desagradou a Federação Paulista de Futebol (FPF) – que, em nota publicada em seu site, afirmou ter recebido com “estranheza” o anúncio feito durante coletiva concedida pelo governo do Estado no Palácio dos Bandeirantes.

O presidente da FPF, Rei­naldo Carneiro Bastos, foi informado na noite da última terça-feira pelo presidente do Tribunal de Justiça Despor­tiva (TJD), deputado esta­dual Delegado Olim (PP), da autori­zação da­da pelo governo do Estado. Porém, a expectativa da entidade era de que a liberação para os treinos fosse praticamente imediata.

“O anúncio, com o distante reinício das atividades, causou estranheza, já que o protocolo de retomada gra­dual aos trei­nos preza, em primeiro lugar, pela saúde dos envolvidos”, diz a nota da FPF. “Assim, os profissionais do futebol, que dependem de con­dicionamen­to físico para exercer suas ati­vidades, continuam impe­di­dos de trabalhar, sem que haja explicação plausível e cientí­fica”, prossegue a entidade.

Ainda segundo a nota, a FPF convocou reunião virtual para hoje, às 15h, a fim de discutir o assunto com os 16 clubes participantes.
O Paulistão está paralisa­do desde 16 de março devido à pandemia do novo corona­vírus. Dos quatro principais centros futebolísticos do país, São Paulo é o único que ainda não liberou os treinos presenciais. Os times do Rio Grande do Sul foram os primeiros a ter atividades em campo, segui­do pelos mineiros. O Campeo­nato Carioca recomeçará ho­­je com a partida entre Flamengo e Bangu, no Maracanã.

Doria destacou que, para retomar as atividades, os clubes terão de obedecer protocolos sa­nitários indicadas pelo chefe mé­dico da FPF, Moisés Cohen.

O protocolo sanitário e de segurança foi submetido à aná­lise e aprovado por especialistas do Centro de Contingência do coronavírus do Estado.

“Entre as medidas que deverão ser adotadas estão testes regulares dos jogadores e comissão técnica, limitação de pessoas nos treinamentos, não presença de torcida, uso de máscaras pelos integrantes da comissão técnica que estiverem presentes, assim como medição de temperatura obri­gatória de todos, atletas e não atletas”, afirmou Doria.

O governador destacou que os protocolos referem-se ape­nas aos treinos e que a retoma­da das partidas será avaliada em fases posteriores em conjunto com a FPF e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

O governo do Estado informou ainda que equipes com sede em municípios que estão na Fase 1 (vermelha) do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena terão de encontrar outro lugar para treinar. É o caso, por exemplo, do Bo­tafogo, de Ribeirão Preto.

GRUPO DE RISCO

O médico do Água Santa, Arnildo Segundo, lembrou tam­­bém que profissionais com ida­de a partir de 60 anos ou portadores de doenças crônicas não deverão participar dos treina­mentos. “Certamente precisa­remos afastar funcionários do clube que estejam no grupo de risco (hipertensos, diabeticos, car­­diopatas, entre outros), exceto pe­ças fundamentais, como o trei­nador e auxiliares”, afirmou.

“Vamos enxugar ao maximo o numero de pessoas dentro do clube, nos treinos e durante os jogos. Provavelmente, teremos uma lista restrita de pessoas autorizadas, que serão avaliadas pelo de­partamento médico antes da liberação ao tra­balho”, continuou Segundo.

Além do cumprimento das medidas sanitárias, Água Santa, Internacional e Santo André – equipes que não têm calendário nacional no segundo semestre – terão desafio adicional para retomar a disputa do Estadual: remontar seus elencos, já que a maioria dos vínculos empregatícios terminou em maio, para quando estava previsto o encerramento do Estadual.
A FPF prometeu aos clubes que vai permitir a entrega de nova relação dos inscritos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*