Esportes, Outros Esportes

Doping jamaicano no revezamento dá ao Brasil bronze no atletismo em Pequim-08

A equipe masculina do Brasil que disputou o revezamento 4×100 m na Olimpíada de Pequim-2008 herdou a medalha de bronze após punição dada a um dos atletas da campeã Jamaica, Nesta Carter, que testou positivo em  nova análise antidoping.

A decisão foi divulgada ontem (25) pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Quarto colocado naquela prova, o Brasil era representado por Vicente Lenilson, Sandro Viana, Bruno Barros e José Carlos Moreira, o Codó, que agora se tornam medalhistas de bronze.

Bolt perdeu ouro obtido no revezamento 4x100m em Pequim.Foto: Arquivo

O ouro foi para Trinidad e Tobago. A prata para o Japão.

O caso de Carter faz parte de uma bateria de testes refeitos no ano passado pelo COI em 454 amostras da competição na China.

Carter já havia sido testado na noite do evento em que venceu a medalha de ouro, mas nada foi detectado.

Com tecnologia mais avançada e novos testes, foi encontrado em sua amostra a substância proibida metilhexaneamina.

Em 2011, substância foi reclassificada como “específica”, o que significa que em alguns casos pode suscitar explicações cabíveis de não doping. Vendida como descongestionante nasal nos EUA até 1983, a metilhexaneamina tem sido mais usada recentemente como um suplemento alimentar.

O caso veio à tona em junho do ano passado, quando o Comitê Olímpico Jamaicano e o atleta foram avisados do problema e de que novos testes seriam feitos.

É o segundo bronze que o Brasil herda de Pequim-2008. O outro também foi no atletismo e no revezamento 4×100 m feminino. A equipe russa teve uma atleta eliminada.

Com o anúncio, Usain Bolt perde o inédito recorde estabelecido no Brasil: nove vitórias em nove provas disputadas. Agora só tem oito.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*