Esportes, Futebol, Sul-Americana

Dois chilenos são soltos e outros 24 seguiam presos por briga no Itaquerão

Chilenos foram dedidos no 24º DP da Capital. Foto: Rogerio Cavalheiro/Futura Press/FolhapressNo dia seguinte à briga entre torcedores chilenos e policiais na Arena Corinthians, duas pessoas foram liberadas e outras 24 seguiam detidas no 24º DP, na Ponte Rasa, zona leste da Capital, até o início da noite de ontem (5).

Os dois chilenos liberados são o jornalista Cristopher Antúnez, de 26 anos, e uma mulher que fazia parte do grupo – Antúnez foi detido no momento que filmava a torcida. Segundo informações da PM, as outras 24 pessoas serão indiciadas, autuadas em flagrante e responderão por desacato e lesão corporal.

Na manhã após a partida, a PM colheu os depoimentos dos chilenos que se envolveram na briga, além de policiais que agiram durante a confusão generalizada antes do jogo e no intervalo da partida entre Corinthians e Universidad de Chile, válida pela Copa Sul-Americana.

Ricardo de Souza, gerente de operações da Arena Corinthians, também foi ouvido pelos policiais. O funcionário passou a noite na delegacia e voltou à Arena Corinthians no começo da tarde para acompanhar a perícia da polícia científica no setor Sul do estádio.

Além da bilheteria depredada, os torcedores chilenos destruíram uma grade, uma tenda no acesso à arquibancada e banheiros da Arena. O Corinthians ainda informou que 218 cadeiras foram danificadas e que vai “buscar seus direitos junto aos órgãos competentes da Conmebol (Confederação Sul-americana de Futebol)”.

A pancadaria deixou uma funcionária do clube, presente no epicentro da confusão, em estado de choque.

O clube montou um dossiê com imagens de seu circuito interno, além de fotos. Há preocupação de que, no mês que vem, na partida de volta, em Santiago, os fatos se repitam.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*