Últimas Notícias

Dirigentes de cultura de cidades da América Latina dão início a debate em Santo André

Dirigentes municipais de cultura, representando cidades de sete países da América Latina, incluindo o Brasil, estiveram em Santo André nesta quinta-feira (26) para a abertura da Reunião Anual da Unidade Temática de Cultura da Rede Mercocidades, série de encontros que será realizada até sábado (28).

A Rede Mercocidades foi criada em 1995 para integrar governos em ações que visam o desenvolvimento. A cerimônia de abertura do encontro aconteceu no salão Burle Marx, no prédio do Executivo, e contou com a presença do Prefeito Paulo Serra, da secretária de Cultura, Simone Zárate, e do coordenador da Unidade Temática de Cultura da Rede Mercocidades e secretário de Culturas de La Paz (Bolívia), Andres Zaratti Chevarría.

“Mercocidades é uma rede mundial que tem crescido e se consolidado no sentido de fomentar a integração entre as cidades e, com isso, está ocupando muitos espaços no cenário internacional”, disse Andreas Zaratti. De acordo com o dirigente, a Cultura, no último ano, foi escolhida para nortear os trabalhos da rede, reforçando o reconhecimento da cultura como quarto pilar do desenvolvimento sustentável (além do econômico, social e o ambiental).

“É importante destacar esse momento de avanço do desenvolvimento cultural na América Latina, na medida em que cada vez mais os governos locais estão se dando conta de que apostar no desenvolvimento cultural implica em apostar no desenvolvimento dos municípios, na resolução de diversos problemas, e na melhoria da qualidade de vida de seus cidadãos”, frisou.

“Receber a reunião anual de Mercocidades é muito importante para Santo André, além de ser uma honra e um orgulho, porque é também o reconhecimento do trabalho que temos realizado nesse segmento, com a promoção de políticas culturais inclusivas como prioridade da gestão, com ações espalhadas por várias regiões da cidade, a valorização dos artistas locais de Santo André e do ABC”, disse o prefeito Paulo Serra.

Segundo a secretária de Cultura, Simone Zárate, Santo André foi escolhida e convidada para ser sede da reunião em outubro de 2018, por conta da sua participação ativa na rede desde 2017. “É a primeira vez que Santo André sedia essa reunião e estamos muito honrados, porque isso significa o reconhecimento do trabalho que a cidade vem fazendo, e a seriedade com que encaramos os compromissos definidos pela rede”, disse Simone. Segundo a secretária, desse encontro que termina no sábado também serão firmados compromissos para serem cumpridos nos próximos anos.

Tema –  A Reunião deste ano tem como tema “Direitos Culturais – Promoção e Salvaguardas da Línguas Indígenas”, que foi definido na reunião de Mercocidades de 2018, realizada no Peru. Foi adotado por estar em consonância com o Ano Internacional das Línguas Indígenas, celebrado em 2019 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Os dirigentes abordarão durante os três dias de encontro Planos de Cultura, Direitos Indígenas, Políticas Culturais, Tecnologias Digitais e Sociais, entre outros assuntos.

“É fundamental que este assunto, a salvaguarda das línguas indígenas, esteja em pauta nesse momento também porque é um assunto que se reflete na cultura da região por conta da nossa origem, da presença indígena nos países latino-americanos”, destacou Zárate. O dirigente acrescenta que em todos os países os indígenas foram afetados com a discriminação de suas culturas. “É importante dar mais visibilidade a algo que é nossa raiz cultural e que muitas vezes segue invisível”, acrescentou.

Seminário internacional – Na manhã desta sexta-feira (29), a partir das 9h, no Sesc Santo André, o tema será abordado no Seminário Internacional sobre Direitos Culturais, que é aberto e gratuito. A programação traz a ativista em direitos humanos, indigenista e assistente na Gerência de Estudos e Programas Sociais do Sesc, Marina Marcela Herrero, para falar sobre “Vitalidade cultural dos povos indígenas no Brasil”.

Na sequência será realizada a mesa “Direitos Culturais e Gestão Pública de Cultura”, com participação do coordenador da Unidade Temática de Cultura da Rede Mercocidades e secretário de Culturas de La Paz (Bolívia), Dario Andres Zaratti Chevarría.

Ao final da manhã, Enrique Glockner, especialista do programa de Cidades Piloto da Comissão de Cultura do CGLU (Cidades e Governos Locais Unidos) apresentará a palestra “Três pontos de partida para entender os direitos culturais”. O historiador e escritor Célio Turino encerra o seminário com a conferência “Bem Viver nas cidades – o que a ancestralidade tem a ensinar para as cidades contemporâneas”.

Mostra paralela – Para marcar o evento, Santo André preparou uma agenda cultural especial com diversas atividades ligadas à temática indígena.  Duas mostras também fazem parte da Programação Paralela Mercocidades.

No Salão de Exposições do Paço Municipal pode ser conferida, até 17 de outubro, a exposição “Fazeres da Tradição”. Em parceria com a Fundacc (Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba), são 25 obras que apresentam a temática da cerâmica indígena.

Já o Museu de Santo André Dr. Octaviano Armando Gaiarsa apresenta a exposição “Paranapiacaba, Guapituba, Cambuci, sons indígenas do cotidiano”. Em parceria com o Museu Barão de Mauá, revela a arte indígena de diversas etnias através de cestarias, armas, utensílios, fotografias e muito mais. Visitação até 19 de outubro.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*