Diadema, Minha Cidade, Sua região

Diadema realiza chamamento para compra de agricultura familiar

Serão adquiridos produtos como couve manteiga, alface crespa, repolho, acelga, laranja lima, maça fuji, entre outros. Foto: Dino Santos/PMD
Serão adquiridos produtos como couve manteiga, alface crespa, repolho, acelga, laranja lima, maça fuji, entre outros. Foto: Dino Santos/PMD

Gêneros alimentícios serão utilizados na alimentação escolar; modalidade de aquisição privilegia o pequeno produtor e produtos orgânicos, garantindo qualidade e nutrição para os estudantes da rede municipal

A Secretaria de Educação de Diadema lançou edital de chamamento público para compra de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar e do empreendedor familiar rural. O chamamento atende às resoluções do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) relativas ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), que regulamentam os critérios para oferta de alimentação escolar.

Disponível em www.diadema.sp.gov.br/seduc-sobre-a-secretaria/25239-editais, o chamamento vai receber as propostas entre os dias 5 e 26 de agosto, com entrega das amostras prevista para 5 de setembro e divulgação do resultado dos produtores selecionados em 9 de setembro. Recursos contrários ao resultado poderão ser apresentados entre 10 e 12 de setembro, e o resultado final está previsto para 14 de setembro, com assinatura de contratos no dia 15 de setembro.

Serão adquiridos produtos como couve manteiga, alface crespa, repolho, acelga, laranja lima, maça fuji e/ou gala, bananas nanica e prata, arroz, feijão, macarrão, sucos, entre outros. A chefe da Divisão de Alimentação Escolar da Secretaria de Educação de Diadema, Vanessa Garcia, explica que do repasse enviado pelo FNDE aos municípios, no mínimo 30% deve ser gasto com alimentos da agricultura familiar.

“Comprar o produto da agricultura familiar, além da gente poder auxiliar o agricultor que está no campo, a gente dá emprego pra ele, gera renda que no dia a dia melhora a qualidade de vida do agricultor, a gente tem um produto que a qualidade é excelente”, afirmou Vanessa. “Um produto que não passa pelo atravessador, ele vai ser colhido na roça e entregue direto nas escolas. Então, a gente tem um aproveitamento perto de cem por cento, por conta da qualidade dos produtos”, concluiu.

A aquisição de produtos da agricultura familiar e do empreendedor familiar rural vai ao encontro à política adotada pela Divisão de Alimentação Escolar da cidade que prioriza, na montagem mensal dos cardápios, frutas, legumes e verduras de época, tanto pela melhor qualidade dos itens disponíveis, quanto pelos preços mais acessíveis.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*