Diadema, Minha Cidade, Sua região

Diadema lança Campanha de Sensibilização e Enfrentamento ao Trabalho Infantil

Durante lançamento da campanha foi apresentada a peça teatral “Criança sem Ciranda”. Foto: Marcos Luiz/PMD

Com o intuito de orientar a população e sensibilizar para entender as formas de tra­balho infantil, a Secretaria de Assistência Social e Cidadania (SASC) lançou, nesta quarta-feira (26), a Campanha de Sensibilização e Enfrentamento ao Trabalho Infantil de Diadema.

Com o tema “Muitas crianças só são crianças quando so­nham. Ajude a mudar essa rea­lidade. Não incentive o trabalho infantil”, o evento reuniu cerca de 300 pessoas no Teatro Clara Nunes. Durante o lançamento, foi apresentada a peça teatral “Criança sem Ciranda” – que faz parte da campanha e terá mais seis exibições em regiões da cidade – além de apresentação cultural realizada pelos adolescentes dos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Sodiprom e da Tabea, parceiros da SASC.

“A atividade de hoje faz parte do Plano Municipal de Estratégias de Enfrentamento ao Tra­balho Infantil, que segue diretriz dos governos estadual e federal. Nosso objetivo é fazer com que a população entenda que o menino que está no semáforo fazendo a venda de balas, malabarismo ou limpando o vidro do carro está em trabalho infantil e que ao ser remunerado está tirando a possibilidade de sair dessa situação”, destacou a secretária de Assistência Social e Cidadania, Caroline Rocha.

A Campanha de Sensibilização e Enfrentamento ao Trabalho Infantil engloba fol­der, cartaz, outdoor, busdoor, vídeo institucional, peça teatral e diagnóstico de trabalho infantil. O folder, que será distribuído para a população, contém explicações sobre o que é o trabalho infantil, o motivo pelos quais a criança não pode tra­balhar e como ajudar no combate ao trabalho infantil.

O vídeo institucional, que será veiculado nas redes so­ciais traz a mensagem de que o trabalho infantil acaba com o sonho da criança e incentiva a denúncia. Já a peça teatral tem o foco na necessidade que a criança tem de ser criança, dando exemplos de trabalho infantil e de exploração nos serviços domésticos.

ABORDAGEM

Além disso, o município conta com o Serviço Especializado de Abordagem Social que realiza a busca ativa e identifica, nos territórios, a incidência de situações de risco pessoal e social. Quando identificada a situação de trabalho infantil, tanto a família quanto a criança ou adolescente são encaminhados para os serviços do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) ou do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), e ao Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos.

“É importante fortalecer os espaços existentes de discussão da temática como, por exemplo, a Comissão Municipal de Enfrentamento ao Tra­balho Infantil (Competi), que elaborou e executa o Plano Municipal de Ações Estratégicas do PETI”, destacou a representante da Competi, Tânia Machado Aires.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*