Diadema, Minha Cidade, Sua região

Diadema comemora Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha

Para homenagear o Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, no próximo dia 25 de julho, a Prefeitura de Diadema, por meio da Coordenadoria de Políticas de Promoção de Igualdade Racial (CREPPIR), irá realizar o “Tributo: Dia das Mulheres Negras, Latino-Americanas e Caribenhas”. O evento, aberto ao público, será no Museu de Arte Popular (MAP), no Teatro Clara Nunes, a partir das 18h30.

Além do CREPPIR, o “Tributo” conta com o apoio da Coordenadoria de Políticas para as Mulheres e da Secretaria de Cultura. A homenagem tem como objetivo trabalhar e promover ações afirmativas no combate ao desequilíbrio social, de gênero e racial imposto pela sociedade, além de conscientizar sobre a igualdade dos direitos.

“É uma data comemorada em todo o Brasil, e em Diadema queremos ir além da homenagem em si. Por termos essa proximidade com tal cultura, o principal intuito é falar do porquê deste dia, percorrer a história da luta e conquistas destas mulheres e comentar sobre as políticas públicas que o município vem criando”, disse o coordenador do CREPPIR, Jurandir de Souza.

Estas ações serão trabalhadas por meio de diversas atividades como palestras sobre a história deste dia e relatos de mulheres negras da cidade, danças caribenhas e ciganas, feira de artesanato com enfoque no afro empreendedorismo e um sarau.

Para a coordenadora de Políticas Públicas para Mulheres, a doutora Marilza Nagasawa, o evento é uma oportunidade de conhecer as necessidades das moradoras do município. “Com essa discussão abrem-se possibilidades de ampliação para pensarmos em políticas públicas para essas mulheres. Vamos conhecer um pouco das necessidades e especificidades de cada uma delas, trazida por elas mesmas. Enquanto coordenadora estarei muito atenta às questões apresentadas”, comenta.

O “Tributo” também contará com o apoio da Casa Beth Lobo que estará representada pela coordenadora da casa, Luciene Santana. A partir das questões levantadas no evento, a instituição vai humanizar ainda mais seu atendimento.

História

A data é comemorada anualmente desde junho de 2014 quando a Lei Federal nº12.987 criou o Dia Nacional de Tereza Benguela e da Mulher Negra. Tereza foi uma importante líder do Mato Grosso no Século XVII. Após a morte de seu marido, José Piolho, assumiu a liderança do Quilombo Quariterê território que hoje corresponde ao Vale do Guaporé. A região, que abrigava mais de 100 pessoas entre negros e indígenas, quase triplicou até o fim de seu regime que durou duas décadas (1750-1770).

Seu governo funcionava como um parlamento com deputados e conselheiros que se reuniam semanalmente. Em 1770 foi perseguida, presa, torturada, morta e, por fim, teve sua cabeça cortada e exposta em seu Quilombo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*