Economia, Notícias

Desemprego avançou para 13,6% na segunda semana de agosto

Passados mais de cinco meses de pandemia do novo coronavírus, o mercado de trabalho brasileiro dá enfim sinais de retomada de sua dinâmica habitual, em meio à flexibilização das medidas de isolamento social e de reabertura de atividades econômicas. Na segunda semana de agosto, cresceu o número de pessoas trabalhando, assim como o de trabalhadores em busca de emprego. Ao mesmo tempo, a população inativa diminuiu.

“Isso pode sinalizar a retomada do mercado de trabalho. As pessoas estão voltando a buscar trabalho. É a segunda semana com aumento na ocupação”, disse Maria Lucia Vieira, coordenadora de Trabalho e Rendimento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com mais pessoas em busca de trabalho, a taxa de desemprego no país aumentou de 13,3% na primeira semana de agosto para 13,6% na segunda semana do mês, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Covid, divulgada pelo IBGE.

“O relaxamento das medidas de restrição social, combinado à redução de transferências do governo federal, também contribuiu para elevar a disposição de pessoas inativas economicamente a procurar trabalho”, justificaram Rayne Santos e Thiago Xavier, analistas da Tendências Consultoria Integrada.

A população desempregada na segunda semana de agosto era de cerca de 300 mil pessoas a mais que o registrado na primeira semana do mês. O total de ocupados, por sua vez, foi de 82,1 milhões na segunda semana de agosto, cerca de 500 mil a mais que o patamar da semana anterior.

A população fora da força de trabalho – que não estava trabalhando nem procurava por ocupação – somou 75,5 milhões de pessoas na segunda semana de agosto, 600 mil a menos em uma semana. Entre os inativos, 27,1 milhões ainda disseram que gostariam de trabalhar. Aproximadamente 17,7 milhões de inativos que gostariam de trabalhar alegaram que não procuraram emprego por causa da pandemia ou por não encontrar ocupação na localidade em que moravam.

Economistas esperam que o retorno dessas pessoas ao mercado de trabalho deve elevar a taxa de desemprego nos próximos meses. Pela metodologia do IBGE, só é considerado desempregado quem de fato tomou alguma medida para procurar uma vaga.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*