Editorias, Notícias, Política

Deputados de Minas Gerais rejeitam título de cidadão a João Doria

Comissão entendeu que não havia justificativa para a homenagem a Doria. Foto: Charles Sholl/Futura Press/FolhapressDeputados estaduais de Minas Gerais rejeitaram proposta para homenagear o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), com o título de cidadão honorário do Estado. O requerimento foi proposto pelo deputado Gustavo Corrêa (DEM), que faz parte do bloco de oposição na Assembleia, formado também pelo PSDB.

A proposta foi rejeitada por quatro votos a dois na Comissão de Administração Pública nesta quarta-feira (23). Não houve discussão na comissão sobre pontos a favor ou contra a homenagem. Corrêa não faz parte dos membros da comissão e estava no plenário durante a votação.

Cristiano Silveira (PT) afirmou à reportagem que a comissão “entendeu que não havia justificativa para a homenagem”. “Qual foi o trabalho relevante dele para Minas Gerais que o pudesse fazer merecedor do título?”, questionou. “Todo mundo sabe que ele é pré-candidato em 2018. Isso seria mais para promovê-lo em Minas Gerais nessa pré-campanha do que uma homenagem por serviço relevante”, completou.

Para Corrêa, autor da proposta, Doria ajudou Minas Gerais como presidente da Embratur, na década de 1990, além de promover encontros de empresários do grupo Lide para desenvolver infraestrutura, mineração e ações sociais no Estado. “Nesses oito meses, Doria demonstrou uma capacidade de fazer uma gestão moderna à frente da Prefeitura de São Paulo com uma máquina pública mais eficiente, onde o cidadão seja o grande beneficiado”, disse Corrêa.

O deputado ainda criticou o governo de Fernando Pimentel (PT) em Minas. “Os mineiros deveriam olhar pra gestão do Doria e sonhar com que o governo do PT fizesse algo parecido, mas a ‘petezada’ que está nos cargos aqui deixam que a máquina continue lenta e inchada.”

Silveira, por sua vez, questionou as políticas de Doria em São Paulo, como o aumento da velocidade nas marginais e a restrição na repetição da merenda escolar. “Está com um mandato ainda curto de prefeito e não mostrou a que veio, pelo contrário, tem uma política higienista.”

Para Corrêa, a rejeição da homenagem foi política, já que homenagens, mesmo de pessoas sem ligação com Minas, não costumam ser rejeitadas. A reportagem tentou contato com o prefeito, mas não obteve resposta até as 18h.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*