Minha Cidade, São Bernardo do Campo, Sua região

Deficientes visuais conhecem empresa por meio de sons e tato

Visitantes puderam sentir com as mãos peças recém-fabricadas e ouvir as máquinas funcionando. Foto: Raquel Toth/PMSBC

Oferecer uma oportunidade para que deficientes visuais usem o olfato, o tato e a audição para conhecer um ambiente normalmente interditado a curiosos e interessados. Esse é um dos princípios do programa de Visita Monitorada Inclusiva de Turismo Industrial de São Bernardo, que aconteceu pela primeira vez quando a empresa Zurich Termoplástico recebeu grupo de 12 pessoas com diferentes níveis de cegueira. A iniciativa é resultado de parceria entre a prefeitura, a ONG Adote um Cidadão e a empresa.

Para a visita dos deficientes visuais foi preparado um tour pelas instalações da fábrica que privilegiou e explorou outros sentidos que não a visão. Os participantes puderam, por exemplo, cheirar diferentes tipos de materiais plásticos queimados, sentir com as mãos peças recém-fabricadas e ainda quentes (botão de fogão, ponteira de cadeira e peças de carros) e ouvir os barulhos das máquinas em funcionamento.

A Zurich foi uma das primeiras empresas a aderir ao programa de turismo industrial criado pela Prefeitura de São Bernardo e já recebeu a visita de grupos de pessoas de todo o país. Eduardo Meneguello, diretor comercial do grupo, falou que esse tipo de ação inclusiva oferece aos visitantes uma experiência única. “Sou privilegiado por participar desta iniciativa do programa de turismo industrial da Prefeitura de São Bernardo. O que fez essa visita possível foi um conjunto de ações e parcerias entre o poder público e a iniciativa privada”, disse.

Com apenas 10% da visão, Irene Vieira do Santos, 53 anos, falou sobre a visita monitorada. “Agradeço a Deus por essa oportunidade de realizar essa atividade. Ainda tenho muitas coisas para conhecer na vida. Já fui babá, doméstica, toco violão, faço atividades físicas, mas nunca tinha me imaginado em uma fábrica. É muito diferente e interessante sentir o cheiro do plástico queimando, as peças quentes saírem da máquina e ouvir o barulho de dentro de uma indústria.”

Idealizador e coordenador da ONG Adote um Cidadão, Antonio Carlos Veiga explica que esse tipo de ação pode ajudar também na gestão das empresas. “Não é falta de oportunidade de emprego, é a falta de qualificação dos deficientes. A ONG existe há 17 anos e, quando começamos, as empresas ainda não sabiam como lidar com a inclusão social. Hoje já estão mais adaptadas e dispostas a contratar pessoas com deficiência.”

O programa

O programa de turismo industrial de São Bernardo foi criado pela prefeitura, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, em 2013 e conta, hoje, com 12 empresas participantes, como a Scania, Omnisys, Friozem e Basf. O sucesso da iniciativa fez comque o Consórcio Intermunicipal do ABC criasse o Roteiro de Turismo Industrial do ABC, que também tem o objetivo de promover visitas monitoradas às fábricas.

Mais informações sobre o programa pelo site www.turismoindustrialsbc.com.br.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*