Editorias, Notícias, São Paulo

Decisão sobre candidatura é só em 2018, diz Alckmin

Alckmin e Doria participaram de entrega da restauração do Castelinho, no Centro de São Paulo. Foto: Fábio Vieira/FotoRua/FolhapressAcompanhado pelo prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), em evento, nesta quinta-feira (6), o governador Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou que a decisão de candidatura do partido à presidência da República será “só no ano que vem”. “Essa é uma decisão do partido. O que vai ter no dia 27 de maio é um encontro de lideranças municipais para discutir experiências”, afirmou.

O governador foi questionado pela reportagem se, no encontro da sigla nessa data, o PSDB paulista lançará seu nome à presidência. A informação foi publicada pela Folha de S.Paulo nesta quinta. Segundo o jornal, oficialmente, o evento discutirá o modelo de gestão tucano, com prefeitos e secretários municipais e estaduais. Aliados de Alckmin, porém, acordaram que aproveitarão a cerimônia para recolocar o governador no cenário nacional. A ideia é tentar frear a onda “Doria 2018”.

Alckmin e Doria participaram da entrega da obra de restauração do Castelinho da rua Apa, na região central de São Paulo. O local será administrado pelo Clube de Mães, ONG que atende crianças, população em situação de rua e dependentes químicos.

Especulação

O movimento articulado pelos dirigentes paulistas tem como pano de fundo a especulação em torno da eventual candidatura de Doria à Presidência em 2018. Alckmin, padrinho político do prefeito, trabalha para ser ele próprio o candidato do PSDB.

A popularidade e imagem desvinculada da política tradicional vem reforçando a tese, para alguns, de que o prefeito de São Paulo seria um candidato mais viável para a eleição de 2018.

O envolvimento de caciques tucanos na Operação Lava Jato, em maior e menor grau, corroboram esse entendimento. O governador foi citado em delação por suposto recebimento de caixa dois, em dinheiro vivo, para as campanhas de 2010 e de 2014, o que Alckmin nega.

Seus aliados argumentam que o seu envolvimento, se confirmado, tende a ser menos danoso do ponto de vista eleitoral do que o de correligionários como Aécio Neves e José Serra.

Novato na política eleitoral, Doria, por sua vez, não precisaria nem sequer dar explicações dessa natureza, uma vez que não tem campanhas passadas no currículo.

De toda forma, Alckmin tem mantido um pé na pauta nacional fazendo viagens ao Nordeste -esteve no Rio Grande do Norte e Pernambuco recentemente, falando sobre soluções para o abastecimento de água.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*