Arte & Lazer, Literatura

Das tranças da Rapunzel ao black da princesa – conto de fadas de 2021

Publicados em janeiro nos Estados Unidos, lançamentos infantis da escritora Isabel Cintra chegam ao Brasil com lições de representatividade. Foto: Divulgação
Publicados em janeiro nos Estados Unidos, lançamentos infantis da escritora Isabel Cintra chegam ao Brasil com lições de representatividade. Foto: Divulgação

Além das mensagens de amor, coragem e perseverança dos clássicos contos de fadas, os protagonistas de “O Pequeno Grande Alfaiate” e “A Princesa e o Espelho” se apresentam ao público infantil com um objetivo a mais: representar as crianças pretas que nunca se enxergaram nas produções do gênero. A proposta é da coleção da escritora paulista Isabel Cintra, que vive atualmente em Estocolmo, capital da Suécia.

Publicadas inicialmente em inglês e ilustradas por Zeka Cintra, irmão da autora, as produções exibem rainhas e princesas com seus poderosos blacks e tudo que eles simbolizam. Apesar de estar sutilmente representado nas narrativas, o racismo não é a temática central dos enredos. “Quero que as crianças pretas vejam que também podem ser as rainhas, princesas e protagonistas de qualquer história”, explica a autora.

Em “O Pequeno Grande Alfaiate”, o pequeno Akim mostra ao pai Jafar, e também para todos os pequenos leitores, que é preciso muita coragem e otimismo para enfrentar os desafios da vida. Já “A Princesa e o Espelho” revela que a beleza está na sua forma mais pura, sem qualquer tipo de padrão: o sentimento amor sempre resistirá, sendo maior que todas as vaidades do mundo.

Isabel lançou seu primeiro livro em 2015 e, até o momento, são sete títulos publicados, todos com o apoio do talento nato do irmão. Tem participado de produções e eventos que divulgam a li­teratura em língua portuguesa fora do Brasil, especialmente na Europa, em cidades como Frankfurt, Paris e Londres. Além da coleção de contos de fadas, é autora de “Corvo-Correio”, lançada na Angola.

A AUTORA

Paulista de São Joaquim da Barra, Isabel Cintra acredita no poder dos livros em mudar pessoas, bem como na importância da representatividade estar presente em sua escrita. É autora de Bem-vindo à cidade, Lisboa, 2016, participou da I Antologia Internacional do Mulherio das Letras – Contos e Poesias, do IV Sarau da Paz – Ausburg, 2018 e, com o conto Corvo-Correio, esteve entre os premiados do Prêmio Off Flip de Literatura 2017, em Paraty (RJ).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*