Minha Cidade, São Caetano do Sul, Sua região

Curso de ‘desprincesamento’ será realizado em São Caetano

O que significa ser menina no Brasil? Por que muitas vezes elas sentem que ser menino é mais legal? Será que consideram ter os mesmos direitos que seus pares? Essas questões, além de muitas outras ligadas à autoimagem e auto aceitação, o amor romântico, serão debatidas na primeira oficina de Desprincesamento que ocorrerá nos dias 4, 10 e 11 de dezembro, em São Caetano.

A oficina é um contraponto à Escola de Princesas, iniciativa que começou em Uberlândia/MG, e que já teve cursos em São Paulo. Nas aulas, basicamente, as garotas também de 9 a 15 anos aprendem regras de etiqueta, maquiagem, receitas e tudo o que é preciso para, na concepção da escola, ser uma princesa.

“Nosso maior objetivo aqui é oferecer um rol maior de personagens para que as meninas possam se inspirar, além de oferecer uma reflexão sobre quem elas são atualmente e o que desejam ser no futuro”, aponta Mariana Desimone, jornalista e coautora da oficina. Também será oferecida aula de autodefesa, ministrada por uma professora de artes marciais.

“Nossa grade foi inspirada no curso de desprincesamento chileno. Nos deram a base para desenvolvermos esse trabalho no Brasil”, completa Larissa Gandolfo, filósofa e coautora da oficina. Mariana conta que muitas mulheres passaram pela capacitação no Chile e que em breve outros cursos semelhantes devem ser abertos no país.

“O nosso é o primeiro, mas com certeza, outros serão realizados. Nossa pressa em fazer a oficina foi a partir dos nossos questionamentos, mesmo. Será que é só isso que temos para oferecer para as meninas? Se portar como princesas?”, questiona Mariana.

Os números da realidade brasileira justificam um curso de “desprincesamento”, na opinião das organizadoras. O Brasil é o pior país da América Latina para nascer mulher. A ONG Save the Children fez um relatório em que compara diversos índices como acesso a direitos reprodutivos, casamentos infantis, representação na política, gravidez na infância. O país está na 1.020ª posição, abaixo de Irã, Síria e Líbano.

O que coloca o Brasil em uma posição tão ruim é o fato das autoridades não conseguirem garantir direitos básicos às meninas, com uma alta taxa de gravidez na adolescência e grande número de casamentos entre menores de 18 anos. “Vivendo em um país como esse, é fundamental que nossas meninas sejam indivíduos cheios de autoconfiança, que cresçam sabendo que podem ser o que quiserem”, justificam as idealizadoras.

Serviço – A Oficina de Desprincesamento acontece nos dias 4, 10 e 11 de dezembro, das 14h às 18 horas, na Avenida Presidente Kenedy, 2207, São Caetano. O investimento para os três dias é de R$ 70. Inclui coffee break, materiais de estudo e diploma. São apenas 15 vagas e as inscrições podem ser feitas pelo e-mail desprincesamentobrasil@gmail.com.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*