Arte & Lazer, Exposição

Culturas negra e indígena têm destaque em Centro de Referência de Diadema

Equipamento conta com amplo acervo de livros e com exposições circulantes, com o objetivo de tornar visíveis e valorizar culturas de povos historicamente discriminados

Visitante pode apreciar exposição sobre os Orixás, divindades cultuadas por muitas religiões de origem africana. A mostra é resultado de parceria com o Museu de Arte Popular (MAP) de Diadema. Foto: André Baldini/PMD
Visitante pode apreciar exposição sobre os Orixás, divindades cultuadas por muitas religiões de origem africana. A mostra é resultado de parceria com o Museu de Arte Popular (MAP) de Diadema. Foto: André Baldini/PMD

Diadema cada vez mais se consolida como um município onde as culturas negra e indígena são divulgadas, respeitas e estudadas. Prova disso é a presença na cidade, na Vila Nogueira, do Centro de Referência das Culturas dos Povos Tradicionais e Matrizes Africanas Pai Francelino de Shapanan.

O espaço, inaugurado em setembro, é mantido pela prefeitura e conta com amplo acervo de livros e com exposições circulantes, que têm justamente o objetivo de tornar visíveis e valorizar culturas de povos historicamente discriminados.

Segundo Leonardo Tadeu Alves, mediador cultural e um dos responsáveis pelo Centro de Referência, as temáticas presentes no Centro são amplas e voltadas para várias faixas etárias. “Contamos com livros que abordam as culturas e contribuições indígenas, quilombolas, de matrizes africanas e, futuramente, histórias da capoeira, samba e culturas populares, inclusive para o público infanto-juvenil.”

Segundo Alves, todas as obras podem ser retiradas por empréstimo mediante a realização de cadastro. Para fazer o cadastro é necessário trazer RG, CPF e comprovante de endereço.

Alguns dos autores e edições presentes no acervo são ‘Raízes do Povo Xavante’, de Rosa Gauditano; ‘O simbolismo nas culturas indígenas brasileiras’, edição organizada por Carlos Amadeu Botelho Byington; ‘Lendas Africanas dos Orixás’, de Pierre Fatumbi Verger/Carybé; ‘Os Candomblés de São Paulo’, de Reginaldo Prandi; e ‘O Mundo no Black Power de Tayó’, de Kiusam de Oliveira, edição voltada ao público infantil.

Além de acervo com mais de 500 livros, o Centro conta com sala de leitura e de exposições. Como explica Leonardo, a ideia é que o espaço receba também saraus, rodas de conversa, palestras, oficinas e apresentações culturais.

“Disponibilizar tudo isso para os diademenses, para pesquisadores e para a juventude, é uma forma de valorizar, dar destaque, a esses elementos e culturas que já são parte de nossa sociedade, mas que historicamente foram desvalorizadas. Cabe ao poder público criar espaços, como o Centro de Referência, que contribuam para alterar esse quadro”, completa Leonardo Tadeu.

Homenagem
O nome do Centro de Referência, Pai Francelino de Shapanan, faz referência a um importante líder religioso de Diadema. Natural do Pará, Francelino foi idealizador, realizador e coordenador geral do I Congresso de Umbanda e Candomblé de Diadema, espaço multidisciplinar de trocas de sabedorias, experiências e diálogos entre as nações religiosas de matriz africana.

O Centro de Referência fica dentro do Centro Cultural Nogueira (R. Marcos de Azevedo, 240 – Vila Nogueira) e funciona de segunda a sexta, das 8h às 18h.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe eu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*