Brasileirão, Esportes, Futebol, Libertadores

Cuca tenta blindar elenco do Palmeiras após derrota no clássico

Segundo Dudu, bate-papo não teve puxão de orelha. Foto: Cesar Greco/Agência PalmeirasCuca deu uma de “paizão”, ontem (29) à tarde, na reapresentação do Palmeiras na Academia de Futebol. Com o treino aberto à imprensa, o comandante agiu para tentar melhorar o astral da equipe, que perdeu a segunda partida consecutiva no Campeonato Brasileiro – para Chapecoense e São Paulo, ambas como visitante.

Em reuniões de emergên­cia, o treinador primeiro conversou com o goleiro Fernando Prass, que admitiu ter falhado nos dois gols do São Paulo.

Na sequência, o técnico falou por cerca de 15 minutos com o elenco. Por último, o papo foi com o zagueiro Mina e o meia Guerra. Ambos foram poupados do treino com bola.

Logo após a derrota no clássico, Cuca disse que o momento não era de críticas. Salientou que essa opção abalaria a confiança dos atletas.

O diretor de futebol, Alexandre Mattos, e o gerente Cícero Souza apareceram no gramado depois e não participaram da conversa. Os auxiliares de Cuca também ficaram distantes do elenco.

Capitão

O atacante Dudu foi o porta-voz dos atletas e reforçou que o bate-papo não teve nada de puxão de orelha. “Foi uma conversa nossa. Ele (Cuca) disse para a gente continuar firme, não desanimar. Perder é ruim, mas é para não desanimar. Vamos continuar firmes em busca de nossos objetivos”, disse o capitão.

Para o camisa 7, o Palmeiras vive momento de transição. Cuca conhece quase todo o elenco, mas a estrutura tática da equipe está sendo redesenhada em relação à adotada por Eduardo Baptista.

“No ano passado tínhamos uma base montada. Neste ano trocamos alguns jogadores. Com o Eduardo, a gente jogava em uma formação diferente. Cuca tem só cinco jo­gos”, analisou Dudu.

 

Às vésperas de decisão, meia-atacante diz que prioridade é Libertadores

Assim co­mo fez no ano passado, quando deixou a Copa do Brasil em segundo plano e se dedicou a conquistar o Brasileiro, o Palmeiras fará o mesmo com a Libertadores em 2017.

Para o capitão Dudu, as duas derrotas seguidas no Brasileirão não preocupam porque, como foi escrito em uma camisa feita exclusivamente para torcedores, a Libertadores é a “obsessão”.

“Acho que a gente montou um elenco forte para brigar por todas as competições, mas todo mundo sabe que nosso principal objetivo é a Libertadores. É o campeonato que está mais próximo de a gente conquistar um título”, afirmou o camisa 7.

Para seguir vivo na Copa do Brasil, o Palmeiras joga pelo empate amanhã (31), contra o Internacional, no Beira-Rio.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*