Economia, Notícias

Crise eleva demanda por penhor, e Caixa concede R$ 190 milhões no ABC em 2016

Cliente recebe pela jóia penhorada: juros mais baixos e dinheiro na hora. Foto:  Antônio Gaudério/FolhapressA crise econômica tornou mais complicada a tarefa de fechar as contas no fim do mês. Em tempos de juros proibitivos, o penhor cresceu como alternativa de crédito para quem possui jóias ou outros bens de valor, devido à facilidade de acesso, à rapidez na liberação dos recursos e ao custo mais baixo do que a média de mercado.

No ano passado, a Caixa Econômica Federal concedeu R$ 190 milhões em empréstimos nessa modalidade no ABC, segundo dados divulgados ontem (9) pela superintendência regional do banco. O valor é 20% superior, em termos nominais (sem considerar a inflação), aos R$ 158 mi­lhões concedidos em 2015.

Segundo o gerente re­gio­nal para pessoa física da Cai­xa, Edvaldo Contin, o crescimento é reflexo da facilidade de acesso ao produto. “O penhor não exige análise de cadastro, nem avaliação de risco de crédito ou de ca­pacidade de pagamento. Além de ser uma modalidade rápida e fácil, é também muito econômica, pois sua taxa de juros é uma das menores do mercado”, comentou.

No país, a Caixa movimentou R$ 13,3 bilhões em novos contratos e renovações de penhor no ano passado. O montante representa expansão nominal de 11,4% em comparação a 2015. Em dezembro, o produto atingiu total de 633 mil clientes ativos, com aumento de 36 mil clientes em 12 meses.

O penhor pode ser contratado inclusive por clientes negativados. O interessado que possui um bem confeccionado em ouro, prata, diamantes e pérolas, ou relógios e canetas de valor, pode fazer a avaliação em uma das 460 agências da Caixa que operam com o produto no Brasil e levar o dinheiro na hora.

Como contratar

Para ter acesso ao empréstimo no ABC, basta comparecer a uma das cinco agências da Caixa que oferecem essa modalidade de crédito, levando a jóia que será deixada como garantia e os documentos pessoais.

As agências estão localizadas em Santo André (Rua Senador Flaquer, 277), São Bernardo (Rua Marechal Deodoro, 1.675), São Caetano (Rua Rio Grande do Sul, 436), Diadema (Avenida Antonio Pi­ranga, 540) e Mauá (Avenida Barão de Mauá, 919).

O empréstimo pode chegar a 100% do valor da garantia para clientes que recebem crédito salário na Caixa. Para os demais, o limite é de 85% do valor. Para contratar, o cliente deve apresentar RG, CPF em situação regular e comprovante de residência. A taxa de juros é de 2,10% ao mês. O bem fica guardado nos cofres da instituição.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*