Economia, Notícias

Cresce número de consumidores que conseguem limpar nome no ABC

Cresce número de consumidores que conseguem limpar nome no ABC
Para o SCPC, tendência é de estabilidade nos indicadores de inadimplência em 2019. Foto: Arquivo

Boa notícia para o varejo do ABC: cresceu em setembro o nú­­mero de consumidores da região que limparam seu nome e puderam voltar às compras a três meses do Natal, data mais importante do comércio.

Dados do Boa Vista SCPC revelam que a recuperação de crédito – expressa na exclusão dos registros de dívidas vencidas e não pagas informadas anteriormente ao bureau pelas empresas credoras – cresceu 9,6% em setembro no ABC na comparação com o mesmo mês de 2017.

Ainda segundo o indicador, o número de supressões da lista de maus pagadores au­mentou 4% no acumulado de janeiro a setembro em relação ao apurado no mesmo pe­­ríodo do ano passado.

“A inadimplência cresce com o desemprego e com a deterioração da renda. Quando há retomada no mercado de trabalho, ainda que discreta e marcada pela informalidade, os indicadores de recuperação de cré­dito tendem a melhorar”, disse Vitor França, eco­nomista do Boa Vista SCPC.

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempre­gados (Caged), do Ministério do Trabalho, revelam que, de janeiro a setembro, os sete municípios criaram 11,3 mil vagas com carteira assinada, alta de 1,5% no estoque existente no dia 1º de janeiro.

Paralelamente, a taxa de de­semprego do ABC caiu de 18,8% em setembro de 2017 para 18,5% no mesmo mês deste ano, se­gun­do pesquisa realizada pela Fun­dação Sistema Estadual de Aná­lise de Dados (Seade) em par­ceria com o Departamento In­tersindical de Estatística e Es­tu­dos Socioeconômicos (Die­ese).

Também pode ter favorecido aos consumidores do ABC limpar seu nome a injeção na economia de R$ 466 milhões, referentes ao pagamento da primeira parcela do 13º salário a aposentados e pensio­nistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

 INADIMPLÊNCIA

No sentido contrário, o Boa Vista SCPC revelou aumento de 3% no indicador de ina­dimplência – elaborado a partir da quantidade de novos registros de dívidas vencidas e não pagas – do ABC em setembro na comparação com o mesmo mês do ano passado.

“Trata-se de um soluço, uma vez que o indicador tem diminuído fortemente nos últimos dois anos no país como resultado da postura mais cautelosa das instituições financeiras na concessão de empréstimos”, afirmou o economista.

França disse que, paulatinamente, tem aumenta­do a disposição dos bancos para conce­der crédito, o que deve favorecer o consumo na Black Friday e no Natal, juntamente com a maior confiança do consumidor.

Para 2019, França afirmou que a tendência é de estabilidade nos in­dicadores de ina­dimplência, mas o comportamento do mercado de crédito vai depender das medidas a se­rem adotadas pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*