Esportes, Futebol

Crefisa vai ajudar Palmeiras em reforço de peso

Lucas Pratto e Miguel Borja chegaram a ser cogitados, mas foram descartados. Fotos: Arquivo

Depois de meses de disputa, vetos a pagamentos e reclamações, Crefisa e Palmeiras convivem com uma nova realidade. O clube de Palestra Itália e a patrocinadora pretendem manter a parceria para a próxima temporada – o contrato vence em dezembro deste ano. Mais que manter o acordo financeiro, as duas partes se envolverão novamente no mercado da bola.

A reaproximação ganhou ainda mais força nas últimas semanas, depois de confirmada a candidatura única de Maurício Galiotte à presidência palmeirense para o biênio 2017/2018. O atual primeiro vice de Paulo Nobre assumirá o clube alviverde em dezembro.

Nos bastidores, a futura diretoria trata de planejar 2017 junto à principal patrocinadora. A ideia principal do grupo corresponde à chegada de um grande reforço para o setor ofensivo. Ao mesmo tempo, a saída de Lucas Barrios é encarada como uma forma de viabilizar um grande acordo.

A ideia do clube é entrar de forma extremamente agressiva na Libertadores e surpreender os rivais no mercado de contratações. A estabilidade financeira adquirida na Era Paulo Nobre, as receitas milionárias de bilheteria e o novo patrocínio com o grupo Crefisa/FAM surgem como três razões para viabilizar mais os investimentos no mercado.

O nome do momento é o argentino Lucas Pratto. Segundo apuração da reportagem, o preço de € 10 milhões (ou R$ 35 milhões) estipulado pelo Atlético-MG afasta qualquer possibilidade de acerto neste momento – à reportagem, uma pessoa ligada à diretoria classificou como “praticamente impossível” a contratação.

O fator financeiro também resultou na desistência palmeirense sobre o colombiano Miguel Borja, destaque da Copa Libertadores e Sul-Americana pelo Atlético Nacional-COL. A exigência de US$ 20 milhões assustou o clube de Palestra Itália. A chegada do camisa 9 é tratada como inviável e descartada.

Apesar do preço alto estabelecido pelos dois nomes primeiramente citados, a parceria entre Palmeiras e Crefisa se compromete a trazer um reforço de peso para o setor, ainda mais após a venda já concretizada de Gabriel Jesus, principal atacante do elenco.

Todo qualquer tipo de plano se encontra em estágio inicial. Fontes ligadas às duas partes apontam um avanço no planejamento, tanto para a renovação do contrato (que valeu R$ 66 milhões em 2016), quanto para o novo presente, a partir do fim do Campeonato Brasileiro. O Palmeiras busca quebrar um jejum de 22 anos título da Série A.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*