Política-ABC, Sua região

CPI da Educação em Diadema inicia com poucos integrantes e em ritmo lento

Investigações serão presididas pelo vereador Companheiro Sergio. Foto: ArquivoComeçaram em ritmo lento os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara de Diadema, que vai investigar supostas irregularidades em contratos da Secretaria de Educação com empresa que executou reformas nas escolas da rede. Com a falta de dois membros – os governistas Rodrigo Capel (PV) e Celio Lucas de Almeida, o Celio Boi (PSB), que justificaram ausência, a primeira reunião ocorreu com a presença do presidente Sergio Ramos da Silva, o Companheiro Sergio (PPS), do relator Josemundo Dario Queiroz, o Josa (PT), e Ricardo Yoshio (PRB), foi definido que os encontros ocorrerão às sextas-feiras, às 14 horas.

A CPI vai apurar contratos firmados pelas secretarias de Educação e Obras com a empresa Mendonça e Silva Construção e Reforma Ltda. Segundo matérias veiculadas na imprensa regional, os contratos possuem indícios de superfaturamento. Os integrantes afirmaram que, além do representante legal da empresa, os secretários de Educação, Tatiane Ramos, e Obras e Serviços, João Marcelo Marques, também serão convocados.

Josa descartou, neste primeiro momento, convocar o presidente da Câmara, Marcos Michels (PSB), que à época dos contratos era o titular da pasta de Educação. “Se forem constatadas irregularidades, vamos chamar o secretário da época. Ele tem mostrado e demonstrado que mais do que ninguém quer que tudo seja resolvido o mais rápido e de maneira mais transparente possível”, disse.
Companheiro Sergio afirmou que não existe nenhum temor de dificuldade para tramitação das investigações.

A convocação para os primeiros depoimentos já está agendada. O representante legal da empresa foi chamado para comparecer na reunião do próximo dia 28. As visitas da secretária de Educação e do titular de Obras já estão agendadas para o dia 5 de maio, às 14h e às 16 horas, respectivamente.

“Vamos nos debruçar sobre as denúncias. Temos a proposta de, nesse período até a sede da empresa, até os locais onde foram realizados os serviços objetos do contrato e queremos que a situação também participe de tudo isso, para que não seja caracterizada como uma CPI da oposição”, completou Josa.

Outras investigações

Outra CPI está em vias de ter início na Casa, desta vez sob a presidência do vereador Cícero Antonio da Silva, o Cicinho (PRB), para investigar irregularidades em contratos com a Secretaria de Esportes. O Jurídico da Câmara já deferiu o pedido e agora os líderes precisam indicar os integrantes.

O governo pressiona a base governista a também apresentar pedido de investigação sobre possível favorecimento de parentes do vereador Companheiro Sérgio na obtenção de apartamentos em projetos habitacionais subsidiados pelo governo federal. Há resistência entre parlamentares situacionistas e a tentativa que a própria administração remeta qualquer irregularidade para o Ministério Público.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*