Saúde e Beleza

Covid: Serrana inicia aplicação da terceira dose da Coronavac

O município de Serrana, no interior paulista, iniciou nesta segunda-feira (6) a aplicação da terceira dose, de reforço, da Coronavac, o imunizante contra a covid-19 produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. A meta é aplicar 5 mil doses em idosos, com 60 anos de idade ou mais.

A ação faz parte do Projeto S. O projeto, que estuda a efetividade da Coronavac, começou em fevereiro com a aplicação de vacinas em toda a população adulta de Serrana. O município concluiu em abril a imunização completa (com duas doses) dos 27 mil moradores com idade acima de 18 anos. A pesquisa constatou queda de 95% nas mortes por covid-19, de 86% nas internações e 80% nos casos sintomáticos da doença no município.

A aplicação da terceira dose integra os estudos que o instituto está desenvolvendo para avaliar o impacto da variante delta (B.1.617.2, indiana) no combate à covid-19 no Brasil. “Isso nos preocupa, sem dúvida nenhuma. Estamos tomando a medida para que o estudo inclusive responda em relação a essa variante. Serrana é um verdadeiro laboratório epidemiológico que agora avança para essa fase de vacinação”, salientou o diretor do Butantan, Dimas Covas.

“Estamos tratando de questões técnicas, científicas, e essas apontam que a terceira dose com a Coronavac aumenta enormemente a resposta imune”, concluiu.

ESTUDOS

No início de agosto, estudos da Sinovac publicados na plataforma de preprints Med­Rxiv mostraram que uma dose adicional de Coronavac, seis ou oito meses após a segunda dose da mesma vacina, induz uma forte resposta imunológica em adultos saudáveis. Em idosos, houve aumento de aproximadamente seis vezes no nível de anticorpos neutralizantes sete dias depois da aplicação da dose adicional.

Artigo publicado no The New England Journal of Medicine no último dia 2 mostrou mais uma vez que a Coronavac, é efetiva (ou seja, tem eficácia comprovada no “mundo real” e não somente em um estudo controlado de ensaios clínicos) contra casos de Covid-19 e variantes do SARS-CoV-2, inclusive entre as pessoas com mais de 60 anos.

A pesquisa foi realizada no Chile e mostrou que a proteção da CoronaVac foi de 65,9% contra infecções por Covid-19, de 87,5% contra hospitalizações, de 90,3% contra internações em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e de 86,3% contra mortes. Para o grupo totalmente vacinado acima de 60 anos, a efetividade da vacina foi de 66,6% para a proteção contra infecções, de 85,3% contra hospitalizações, de 89,2% contra internações na UTI e de 86,5% para a prevenção de morte relacionada à doença.

Fonte: Butantan

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*