Arte & Lazer, Social

Corpo do ator Paulo Gustavo será cremado nesta quinta-feira

Thales Bretas, marido de Paulo Gustavo: "ainda é muito difícil processar tudo o que aconteceu nos últimos dias". Foto: Reprodução Instagram
Thales Bretas, marido de Paulo Gustavo: “ainda é muito difícil processar tudo o que aconteceu nos últimos dias”. Foto: Reprodução Instagram

O corpo do ator Paulo Gustavo será cremado em cerimônia restrita à família e amigos próximos nesta quinta-feira (6). A informação foi confirmada pela assessoria do ator, que acrescentou que o local da cremação não será divulgado a fim de evitar aglomerações em meio à pandemia.

Ainda não há informações sobre o velório de Paulo Gustavo, que morreu na noite de terça-feira, 4, aos 42 anos, em decorrência de complicações causadas pela covid-19. O Theatro Municipal do Rio colocou o local à disposição dos familiares, mas até o início da tarde não havia nenhuma confirmação se de fato ele seria utilizado – mais uma vez, há a preocupação com aglomerações.

Em sua nota, a assessoria do ator diz que agradece “a todos pelas mensagens de carinho e apoio”.

HOMENAGENS

A madrugada desta quarta-feira, 5, foi de comoção por causa da morte de Paulo Gustavo. O ator, de 42 anos, lutava há mais de um mês contra o novo coronavírus, mas não resistiu as complicações do vírus e morreu na noite de terça, dia 4, pouco depois das 21h, no Rio de Janeiro.

O marido dele, Thales Bretas, fez uma homenagem nas redes sociais e, na medida do possível, tentou expressar a dor do luto “Ainda é muito difícil processar tudo o que aconteceu nos últimos dias. Nossa caminhada tinha tudo pra ser longa! Linda como vinha sendo tão feliz! E foi muito! Como fui feliz nesses últimos 7 anos que tive o privilégio de conviver com você! Como eu aprendi, cresci! Espero poder passar um pouco do seu legado de generosidade, afeto, alegria e amor. Você é um furacão! Uma estrela que brilhou muito aqui na Terra, e vai brilhar ainda mais no céu, olhando pela nossa família sempre! Eu te amo tanto. . e sempre te amarei, pro resto da minha vida! Não consigo escrever um centésimo do quanto você foi e é importante pra mim e pro mundo. E continuará sendo, eternamente”, disse no perfil que mantém no Instagram.

Diversos amigos, familiares e personalidades consolaram Thales e enviaram mensagens de carinho, como a atriz Bruna Marquezine: “Thales, eu sinto muito, muito! Sigo orando por vocês! Deus está com você e nós também”.

A apresentadora Adriane Galisteu também se manifestou: “meus mais profundos sentimentos e todo o meu amor”.

O ator Marcos Veras, amigo de Paulo Gustavo, expressou solidariedade à família. “força, amigo! Mais ainda. Te amo e amo sua família. E to aqui. Tudo triste! Tudo novo! Mas tudo renascimento”, escreveu.

Em sua carreira, o ator Paulo Gustavo, que morreu na noite desta terça-feira, 4, aos 42 anos, de problemas decorrentes da covid-19, tornou-se conhecido principalmente pelo personagem Dona Hermínia, a elétrica e dominadora dona de casa que surgiu no teatro e logo se tornou um sucesso absoluto no cinema. Paulo Gustavo, porém, criou outros tipos, igualmente engraçados e sempre trazendo as peculiaridades de seu humor – que conseguia unir ingenuidade com picardia e crítica social.

Veja os principais personagens criados por Paulo Gustavo

Dona Hermínia

Inspirada em tias, avós, mas principalmente em Dea Lúcia, sua mãe, a personagem surgiu pela primeira vez em 2004, na peça Surto. O sucesso foi tamanho que instigou Paulo Gustavo a criar o espetáculo Minha Mãe é uma Peça, em 2006, que rendeu ainda três adaptações para o cinema (2013, 2016 e 2019), todas grandes sucessos de bilheteria. Trata-se de uma típica dona de casa que, sempre à beira de um ataque de nervos, toma as atitudes mais engraçadas. Com essa personagem, Paulo Gustavo conseguiu a proeza de um homem interpretar uma mulher ser bem aceito por boa parte da população.

Senhora dos Absurdos

Sucesso no programa 220 Volts, do canal Multishow, a personagem ganhou fama justamente por comentários absurdos, que revelam preconceito de raça e sexo. Paulo Gustavo dizia que tinha criado esse tipo para debochar da intolerância e da cultura do ódio. “Meu intuito é fazer rir, mas sabendo que o riso também é um modo de abordar temas controvertidos e incômodos da sociedade”, disse, em uma publicação no Facebook, em 2017.

Valdomiro Lacerda

Era o protagonista do programa Vai que Cola, do Multishow, que se passa em uma pensão. Seu objetivo é se esconder lá da Polícia Federal, que o procura por conta de uma falcatrua na qual ele se tornou o único culpado. Aqui, novamente, Paulo Gustavo exerce o humor como caminho para crítica social, pois Valdo, como é conhecido, se considera superior em relação aos outros hóspedes, além de menosprezar o Méier, bairro do subúrbio do Rio, e de se lamentar por não morar no Leblon.

Aníbal

Paulo Gustavo tinha a atriz Mônica Martelli como uma de suas melhores amigas. Juntos, fizeram filmes como Minha Vida em Marte, no qual o ator viveu Aníbal, grande apoiador de Fernanda (Mônica), que sofre com problemas no relacionamento. Para consolá-la, Aníbal a leva para Nova York, onde passeiam por lugares icônicos da cidade. O local serviu também para que Paulo Gustavo demonstrasse sua dificuldade em falar em inglês. As filmagens, apesar de divertidas, foram atribuladas pois, realizadas em locações, eram constantemente interrompidas, pois as pessoas reconheciam o ator e gritavam seu nome.

Mulher Feia

Outro personagem que surgiu e se popularizou no programa 220 Volts, além de participação no Vai que Cola. Uma vez mais, Paulo Gustavo utiliza o bom humor para fazer mais uma crítica social. Mulher Feia conta histórias que dizem respeito à sua aparência, se lamentando pelos homens que a abandonam. O curioso é que seus relatos, apesar de muitas vezes absurdos, são narrados de uma forma até inocente.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*