Economia, Notícias

Coronavírus impulsiona delivery e muda cardápios de restaurantes do ABC

Coronavírus impulsiona delivery e muda cardápios e rotina de restaurantes do ABC
Botequim Santo André (esq.) e Roger’s Burger têm apostado no delivery para resistir à pandemia. Fotos: Divulgação

O delivery nunca foi tão importante para a sobrevivência de bares e restaurantes do ABC como agora. As medidas de prevenção ao avanço do no­vo coronavírus mudaram a rotina de milhões de paulistas e brasileiros, mantendo-os em casa. Sem a movimentação nos horários de almoço e jantar e sem o happy hour, os estabelecimentos têm em sua maioria atendi­do por telefone e apostado no delivery para manter as atividades.

É o caso do Botequim Santo André, restaurante situado no Bairro Campestre especiali­zado em assados e que tem no cupim casqueirado na te­lha o prato principal. Até a pandemia de Covid-19, não havia delive­ry na uni­dade. Agora, o estabelecimento aceita pedidos diariamente, das 12h às 23h, pelo telefone 4991-8811 e Whats­App 94881-1369. O Botequim também está nos aplicativos i­Food e Uber Eats.

“Tivemos de nos reinventar. Criamos um cardápio exe­­cutivo, compramos duas má­quinas de assar frango e estamos fazendo combos, do tipo com­pre uma porção e leve dois refrigerantes. Também elaboramos um prato especial para a Páscoa”, afirmou o sócio-proprietário do esta­be­lecimento, Thiago Malito.

Segundo o empresário, não há plano de demissões neste momento. Além da unidade de Santo André, há outra em São Caetano. Juntas, empregam cerca de 30 pessoas. “Primeiro, queremos tentar nos ajustar o sentir o ce­nário. É um dia de cada vez. Acreditamos que a crise vai durar pouco”, disse.

Malito explicou que funcio­nários e entregadores têm se­guido as recomendações da As­­­sociação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) sobr­e cuidados com higiene em tempos de coronavírus. “Temos tra­balhado com o mínimo possível de funcionários. Só traba­lhamos com sacolas de kraft e usamos luvas e álcool gel. Além disso, temos um gerente em tem­po integral na unidade que fiscaliza os trabalhadores para ver se estão seguindo as normas”, afirmou.

Primeira hamburgueria de Dia­dema, a Roger’s Burger não esconde que a quarentena – prorrogada ontem (6) pelo go­­vernador João Doria (PSDB) no Estado de São Pau­lo para até 22 de abril – reduziu as vendas do estabelecimento. “Estamo­s traba­lhando no app (i­Food) com desconto em todos os pratos, o que tem ajudado bastante na saída de pedidos. Porém, a ine­xistência de vendas no local faz grande diferença”, la­mentou o proprietário Rogério Fernandes.

O estabelecimento também recebe pedidos pelos telefones 3432-1441 e 4044-8342, além do Whats­App 98376-3348. O delivery funciona de terça a sá­bado, das 11h às 22h30, e aos domingos, das 17h às 21h30.

Para evitar a dissemina­ção do coronavírus, o estabe­lecimen­to ado­tou o uso de máscaras e álcool gel na cozi­nha, e todos os entregadores carregam frasco de álcool gel. “Além disso, seguindo as orientações dos aplicativos, 99% dos pedidos estão sendo pagos online ou com cartão, o que evita o recebimento de di­nheiro”, explicou Fernandes.

Aberta há três meses no Jardim Irajá, em São Bernardo, a Hamburgueria Jardins registrou queda de 80% nas vendas depois que interrompeu o atendimento presencial.

“Temos atirado para todos os lados: redes sociais, Whats­App”, afirmou o proprietário Edi Carlos Lima, que traba­lha no estabelecimento com a mu­lher, Karina. É ela, aliás, que tem feito as entregas.

Especializado na oferta de hambúrgueres artesanais, o es­tabelecimento recebe pedidos pelo Whats­App 98012-5648.

APPS

Os aplicativos atualizaram seus protocolos para aumentar a segurança da comida entre­gue. O iFood, por exemplo, dis­ponibilizou aos usuários a opção “Entrega sem Contato”. Para que isso aconteça, o pagamento deve ser efetuado online, pelo app. Na sequência, o entregador responsável pela rota é avisado e tem acesso aos direcionamentos do cliente para que possa concluir a entrega sem interação.

As plataformas de entrega também adotaram medidas para ajudar os restaurantes. O Rappi, por exemplo, redu­ziu o prazo de pagamento a todos os negócios parceiros – atuais e novos – de 14 para sete dias. O objetivo é apoiar os estabelecimentos du­rante a pandemia do coronavírus. “O pagamento se­manal alivia o caixa dos restaurantes, for­­ta­lecendo-os finan­ceira­men­­te”, explicou o aplicativo.

O iFood também anunciou a antecipação dos recebimentos dos restaurantes, sem custo adicional. O negócio que optar pelo benefício receberá o pagamento sete dias após as vendas nos meses de abril e maio.

um comentário

  1. Sou cliente do Roger’s burguer. Ótimos lanches com hambúrguer gourmet e atendimento de excelência.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*