Brasileirão, Esportes

Corinthians vence Palmeiras e abre 16 pontos do rival

Guilherme Arana comemora o seu gol, o segundo na vitória de ontem sobre o Palmeiras Foto: Marcello Fim/Raw Image/FolhapressA eficiência do Corinthians prevaleceu mais uma vez nos clássicos em 2017. Ontem (12), a equipe manteve seu estilo característico, marcou os gols nas poucas chances que teve na partida e venceu o Palmeiras por 2 a 0, no Allianz Parque, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, a equipe alvinegra continua na liderança, agora com 35 pontos, 12 a mais do que o vice-líder Santos. Essa vantagem, no entanto, vai diminuir no complemento da rodada. Com 23 pontos e na terceira posição, o Flamengo recebe o Grêmio, que soma 22, hoje.

O Palmeiras foi ultrapassado pelo Cruzeiro e caiu para a sexta posição, com 19 pontos.

O Corinthians também manteve a invencibilidade em clássicos. Neste ano, a equipe venceu dois diante do Palmeiras e dois contra o Santos. Diante do São Paulo houve dois empates e duas vitórias.

O Corinthians volta a campo sábado, às 19h, quando recebe o Atlético-PR. No domingo, às 11h, o Palmeiras pega o Vitória no Allianz Parque.

grafico-palmeirasAinda sem encontrar a formação ideal desde que assumiu o comando do clube há dois meses, Cuca fez novas modificações para o duelo contra o Corinthians. Escalou Tchê Tchê na lateral direita e deixou Mayke no banco. Do lado esquerdo, Egídio foi mantido. A dupla de zaga foi formada por Mina e Dracena.

O meio-campo teve Thiago Santos, Bruno Henrique e Guerra, que retornou ao time após ficar afastado em virtude de problemas familiares. O setor ofensivo foi formado por Róger Guedes, Willian e Dudu.

Sem problemas, Carille escalou sua equipe considerada titular. Bem compactado, o time não dava espaços e valorizava a posse de bola. Aos 22 minutos, o sistema defensivo do Palmeiras bobeou, Arana recebeu dentro da área e foi derrubado por Bruno Henrique: pênalti. Jadson cobrou e abriu o placar.

Com o gol, o Palmeiras se abriu para buscar o empate. Teve mais posse de bola, mas insistiu muito nos cruzamentos pelo lado direito. Individualista, Dudu carregava a bola, mas parava na marcação.

No segundo tempo, Cuca voltou com Borja no lugar do volante Bruno Henrique. Tchê Tchê passou a jogar como volante e o atacante Róger Guedes, de lateral. O técnico ainda colocou Keno na vaga de Thiago Santos.

No final do jogo, Zé Roberto substituiu Egídio.

As mudanças, porém, não surtiram efeito. Desorganizado, o Palmeiras chegava mais na base da vontade. Impaciente, a torcida começou a vaiar e reclamar do time.

A desorganização era tão grande que o Palmeiras terminou com apenas Edu Dracena como zagueiro. Tchê Tchê fazia a função de volante e zagueiro, Dudu era um segundo volante e Mina, atacante.

O que o time alviverde não tinha sobrava no rival. Organizada, a equipe de Carille deixava o adversário com a bola e explorava os contra-ataques, principalmente do lado direito. Aos 20 minutos, Romero passou para Arana bater cruzado, fazer o segundo gol e definir o placar.

Nos últimos 25 minutos, o Corinthians apenas administrou a partida.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*