Mauá, Política-ABC, Sua região

Convite do PTB a Donisete entra na pauta de reunião com caciques do PT

Donisete Braga pode aproveitar o prcesso de eleição direta para deixar a legenda. Foto: Eberly Laurindo

Os nomes de maior peso no PT do ABC, como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os ex-prefeitos de São Bernardo, Luiz Marinho; de Santo André, Carlos Grana, e de Mauá, Donisete Braga, devem se reunir no próximo mês. Um dos assuntos será o convite feito pelo PTB para que o ex-chefe do Executivo mauaense troque de partido.

Donisete e PTB mantêm boa relação. O partido indicou o candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada pelo petista na eleição de outubro, o empresário Cleber Broch.

O convite para que Donisete trocasse o PT pelo PTB foi feito ainda antes da disputa municipal, com a esperança de que a chapa fosse encabeçada pelos trabalhistas. Com a derrota nas urnas, cresceu a expectativa de que o ex-prefeito faça a troca, aproveitando as eleições internas do PT, marcadas para abril, segundo fontes ligadas ao partido.

Dentro da legenda, os militantes se dividem entre aqueles que reconhecem o espaço conquistado por Donisete – que já foi vereador, deputado estadual e prefeito pela sigla – e entendem que ainda tem motivação para prosseguir; e os que avaliam que decisões tomadas enquanto esteve à frente do Executivo contribuíram com o desgaste do partido, que não só não conseguiu manter o comando do Paço como viu sua bancada na Câmara encolher de cinco para apenas um vereador.

“É natural que, após o resultado adverso, quem amargou derrota procure culpados. Porém, não entendo que seja o Donisete Braga o responsável pelo resultado ruim. O PT vem de processo de desgaste nacional. Mauá apenas refletiu isso”, opinou uma fonte ligada ao partido. “Numa análise fria, é claro que ele (Donisete) ainda tem o respeito de boa parte da militância”, concluiu.

Coordenador regional do PTB, Carlos Thadeu confirma que o partido está com as portas abertas para o ex-prefeito, mas afirma que as negociações estão em compasso de espera. “Não é segredo a boa relação que o Donisete tem com o Campos Machado (presidente do PTB e deputado estadual), mas não tivemos nenhuma  conversa após a eleição”, explicou.

Outra fonte que vem acompanhando as negociações, porém, destacou que é natural os políticos que pretendem se lançar na disputa de cargos eletivos façam contas para avaliar em qual partido é mais interessante estar. “Hoje, com o atual desgaste do PT, é natural que os candidatos procurem legendas onde terão mais votos e menor rejeição”, pontuou.

PED

O Processo de Eleição Direta (PED) do PT, que visa escolher os novos dirigentes, estava inicialmente programado para março, mas passou para abril. O adiamento da eleição vai dar mais tempo para que os diretórios se organizem e apresentem as chapas. O prazo para inscrição dos candidatos é 6 de março. Por um lado, especula-se que Donisete estaria esperando esse momento para deixar a legenda; por outro é forte também o rumor de que está em curso uma grande disputa interna por poder.

“Existem grupos que querem manter a hegemonia e outros que querem a mudança”, opinou uma fonte. “Neste momento de desgaste, uma disputa interna nesses moldes me parece fraticida, não agrega nada para a legenda”, completou. Até o momento, os nomes do ex-vice-prefeito Paulo Eugenio e da atual presidente, Maria Aparecida de Souza, são os mais cotados para disputar a presidência municipal. Donisete Braga não foi localizado para comentar.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*