Copa América, Esportes

Contra o Brasil, Argentina deve adotar sistema de jogo cauteloso

A seleção argentina deve mudar o esquema tático e ter um sistema de jogo mais cauteloso para enfrentar o Brasil hoje (2), pela semifinal da Copa América. O técnico Lionel Scaloni avalia mudar a formação, recuando Messi para a função de armador, e montar sistema com dois atacantes ao invés de três, como escalou nas partidas anteriores.

A novidade não deve implicar, porém, em mudança nos titulares. Apesar de ser apontado pela imprensa argentina como barrado, Agüero teve a presença confirmada entre os titulares por Scaloni, ao vencer a concorrência com Di María.

“Só vou confirmar a presença do Agüero porque publicaram que não jogaria. Não vou falar de nenhum outro nome, até porque ninguém está confirmado, nem o Messi”, disse, aos risos, o técnico.

A Argentina se preparou para o jogo contra o Brasil com um misto de segredo e cordialidade. Scaloni fechou os últimos treinos da equipe, mas o elenco conseguiu encontrar bastante apoio durante os dias prévios na Capital mineira.

A população local se aglo­merou na porta do hotel da equipe e desprezou a rivalidade histórica entre os países para se vestir de Barcelona ou de Argentina e vibrar por Messi.

O atacante teve o nome bastante gritado pelas crianças ontem (1º), na porta do CT do Cruzeiro. Os cartazes, gritos e pedidos por autógrafos não fizeram a seleção visitante abrir mão do cronograma rígido. O time treinou com apenas 15 minutos abertos à imprensa.

No treino no Cruzeiro, a Argentina encontrou compatrio­tas. Lucas Romero e Ariel Cabral, revelados pelo Vélez Sarsfield, recepcionaram os jogadores e posaram para foto junto com Messi. O camisa 10 ganhou a mascote do clube mineiro de presente: uma raposa de pelúcia.

No vestiário, a cordialidade continuou. O clube entregou à seleção camisas personalizadas com nome e nú­mero de todos os jogadores do elenco.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*