Copa do mundo, Esportes

Contra algoz da era Dunga, Brasil tenta manter tabu

Alisson: “Temos de continuar concentrados para seguir melhorando os números”. Foto: Pedro Martins/MoWA PressA seleção brasileira vai tentar manter um tabu de 63 anos na madrugada desta quarta-feira (16), à 0h15 de Brasília, em Lima, na partida que encerra a temporada das Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018.

Os peruanos eliminaram o Brasil da Copa América Centenário, nos Estados Uni­dos, e agora, com o apoio da torcida local, podem obter feito alcançado uma única vez por um rival do Brasil.

Em 1953, uma equipe venceu o time nacional duas vezes seguidas no mesmo ano em competições oficiais.Naquele ano, os paraguaios venceram a seleção por 2 a 1 e por 3 a 2, em duas partidas válidas pela Copa América, disputada em Lima.

Palco da partida desta quarta, o Estádio Nacional foi o cenário das duas derrotas seguidas dos brasileiros naquele torneio continental. Com um gol de mão de Raúl Ruidíaz, em Boston, em junho, o Peru foi o responsável pelo último vexame do time nacional. A vitória encerrou a segunda passagem de Dunga pela seleção.

“Acredito que o Peru pode ser protagonista nesta partida. Podemos vencer qualquer seleção”, afirmou o técnico Ricardo Gareca, que comandou o Palmeiras em 2014.

A esperança de vitória do Peru é a dupla formada pelo atacante Paolo Guerrero, do Flamengo, e o meia-atacante Cueva, do São Paulo. Depois do fiasco diante dos peruanos no primeiro semestre, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) mexeu na comissão técnica e contratou Tite, que deu início a uma sequência de cinco vitórias, 15 gols marcados e apenas um sofrido nas Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia.

O time pulou da sexta colocação para a liderança do torneio da América do Sul.
Caso o Brasil consiga superar a pressão peruana e vença em Lima, a equipe comandada pelo treinador gaúcho vai igualar o recorde de vitórias do time de João Saldanha nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 1970.

Na ocasião, o time terminou o torneio com 100% de aproveitamento ao vencer as seis partidas. Saldanha, porém, foi demitido antes do Mundial. O Brasil foi comandado na conquista do tricampeonato por Zagallo.

“Hoje o futebol se baseia muito em números, em resultados, então os números estão a nosso favor. Temos de continuar concentrados jogo a jogo para seguir melhorando os números”, afirmou o goleiro Alisson.

Em outras cinco ocasiões, o Brasil também foi batido duas vezes no mesmo ano, por Argentina (1957, 1963, 2012) e Uruguai (1950 e 1992). Porém, nas cinco oportunidades, ao menos uma vitória ocorreu em amistosos.

Mudança

O time brasileiro deverá ter apenas uma mudança para a partida. Suspenso por cartões amarelos, o lateral esquerdo Marcelo será substituído por Filipe Luís.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*