Economia, Notícias

Consumo de gás de cozinha cresceu 23% com pandemia, diz Ministério de Minas e Energia

Consumo de gás de cozinha cresceu 23% com pandemia, diz Ministério de Minas e Energia
Coronavírus levou à compra de um segundo botijão pelas famílias. Foto: Arquivo

O Ministério de Minas e Energia (MME) informou que o consumo de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o chamado gás de cozinha, aumentou 23% no país por causa da pandemia do coronavírus, com a maior compra de botijões, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Segundo o MME, a previsão é que, nos próximos dias, o abasteci­mento seja normalizado.

Com o início do isolamento social implementado para reduzir o risco de contágio do coronavírus na população, o consumo do gás de cozinha aumentou, já que a população está cozinhando mais em casa.

O novo comportamento levou também à compra de um segundo botijão pelas famílias, informou o MME, o que resultou na falta do produto em algumas regiões e, como resultado, no aumento dos preços.

Entre as medidas adotadas para regularizar o mercado, o MME aponta o aumento de importações da Petrobras – que para abril anunciou a compra no mercado externo do equivalente a 27,4 milhões de botijões de gás de cozinha de 13 kg – e a expansão da infraestrutura de abastecimento, com o resta­be­lecimento operacional do gaso­duto que liga Santos a Mauá.

Segundo a ANP, o botijão de 13 kg chega a custar R$ 115 para a população. Porém, nas refina­rias, o produto acumula queda nos preços de 21%. A última redução no valor do GLP foi de 10%, no último dia 31.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*