Minha Cidade, Regional, Sua região

Consórcio entrega ao Estado plano para reabertura gradual da economia do ABC

Consórcio entrega ao Estado plano para reabertura gradual da economia do ABC
Reple, Maranhão, Germann, Morando, Auricchio, Vinholi e Kiko, durante reunião no Palácio dos Bandeirantes. Foto: Divulgação/PMSBC

O Consórcio Intermunicipal entregou, neste sábado (30), aos secretários estaduais da Saúde, José Henrique Germann, e de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, documento em que solicitam a reavaliação de indicadores relacionados ao novo coronavírus no ABC. O objetivo do colegiado é a reclassificação da região no Plano São Paulo reabertura gradual da economia.

Na última sexta-feira, o governador João Doria (PSDB) anunciou a divisão da Grande São Paulo em seis re­giões (a Capital e mais cinco), que terão os indi­cadores re­lativos à pandemia analisados separadamente para determinar a fase de cada uma delas no plano. O tucano, po­rém, mante­ve a classificação que per­mite ape­nas à Capital a flexibilização da quarentena, enquanto os demais 38 municípios da região metropolitana – inclusive o ABC – se­guem com as restrições atuais.

Segundo balanço divulgado pelo Consórcio na manhã deste sábado, o ABC soma 7.010 casos confirmados de covid-19, com o acréscimo recorde de 536 casos nas últimas 24 horas. A região contabiliza ainda 580 mortes, 22 delas nas últimas 24 horas.

Em reunião no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado, os prefeitos do ABC apresentaram detalhadamente as ações realizadas pelos sete municípios para enfrentar a pandemia, como o incentivo ao isolamento social e ao uso de máscaras, a abertura de hospitais de campanha e a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) abaixo de registrada em outras regiões da Grande São Paulo, além da compra de 14 milhões de equipamentos de proteção individual (EPIs) para as equipes de saúde dos sete municípios.

Participaram do encontro o presidente do Consórcio e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (Cidadania), e os prefeitos tucanos de São Bernardo, Orlando Morando; de São Caetano, José Auricchio Júnior; e de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira, acompanhados do coordenador do Grupo de Trabalho (GT) Saúde do Consórcio e secretário da pasta em São Bernardo, Geraldo Reple Sobrinho.

Morando, por exemplo, entregou documento no qual consta a capacidade viabilizada por São Bernardo desde o início da pandemia, como a quantidade de leitos (517 no total, sendo 151 de UTI e 366 de enfermaria) destacados em cinco hospitais permanentes. Neste quesito, o município supera a Capital – já aprovada para flexibilização –, uma vez que garante 18 leitos de UTI para cada 100 mil habitantes, enquanto a Capital viabiliza 10 leitos para cada 100 mil moradores.

Os secretários estaduais informaram que os dados serão analisadas pelo Comitê de Contingência do Coronavírus na próxima terça-feira (2), data em que o grupo técnico do governo do Estado vai se reunir. Na quarta-feira (3), o governador deverá anunciar se as cidades do ABC poderão receber a mesma classificação dada à Capital para a reabertura gradual da economia.

“Agradecemos a sensibilidade do governador com as preocupações dos municípios do ABC. Esperamos passar à próxima fase do plano de reabertura econômica com suporte do governo do Estado para manutenção e ampliação dos leitos destinados aos pacientes de covid-19 nas sete cidades”, afirmou Maranhão.

“A preservação e o salvamento de vidas continuam como nossas prioridades, mas não aceitamos injustiça e viemos mostrar que o que executamos na cidade foi  essencial para ter condições de combater o coronavírus”, destacou Morando.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*