Minha Cidade, Regional, Sua região

Consórcio e UFABC lançam plataforma para mapear covid-19 na região

Consórcio e UFABC lançam plataforma para mapear covid-19
CoviData pode ser acessada diretamente na internet. Foto: Reprodução

O Consórcio Intermunicipal e a Universidade Federal do ABC (UFABC) lançaram, ontem (29), plataforma digital que vai possibilitar o acompanhamento da evolução da pande­mia do novo coronavírus na região. Tra­ta-se do CoviData, que po­de ser acessado na página covidata.ufabc.edu.br.

O CoviData é composto de questionário que permite a identificação de casos suspeitos ou não da doença. “As perguntas são baseadas em protocolos da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde”, disse Fernanda Almeida, professora da UFABC e coordenadora do projeto.

O questionário inclui perguntas sobre sintomas (febre, dores no corpo, tosse, dificuldade de respiração), comorbidades e se houve contato com alguma pessoa infectada.

A partir das respostas dadas ao CoviData, o sistema classifica os usuários em qua­tro grupos: os que não são suspeitos de estarem contaminadas (com a cor verde) e os suspeitos com sintomas le­ves (amarelo), moderados (la­ranja) e graves (vermelho).

Caso identifique as respostas como sendo de um caso suspeito, a plataforma leva o usuário a um cadastro, que solicita dados de localização e fornece uma relação das unida­des de saúde mais próximas.

As informações do Covi­Data ficarão à disposição das sete prefeituras, que poderão traçar sua estratégia de atendimento aos casos suspeitos de infecção. Além disso, a ferramenta possibilita o mapeamento dos casos – de forma a identificar, por exemplo, a dispersão dos doentes no território e as regiões de maior incidência da covid-19.

“Esses dados vão contribuir diretamente para o planejamento de nossas ações. O CoviData vai permitir, por e­xemplo, a adoção de ações específicas dos órgãos públi­cos em um determinado bairro com maior número de casos”, comentou o presidente do Consórcio e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (Cida­dania).

O CoviData não precisa ser baixado e pode ser acessado diretamente pela internet. O desenvolvimento da plataforma teve a participação de alunos e professores de três cursos de graduação da UFABC.
Até a última terça-feira, os sete municípios haviam re­gistrado 1,7 mil casos da doença, com 141 mortes.

OCUPAÇÃO

Durante entrevista coletiva concedida por meio de vi­deoconferência, o presidente do Consórcio Intermunicipal informou que a ocupação na rede de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do ABC está em 85%, taxa semelhante à apurada pelo governo do Estado na região metropolitana de São Paulo.

Maranhão informou ain­da que a situação financeira das sete prefeituras é delicada devido à queda na arrecadação decorrente da redução da atividade econômica. “Estamos garantidos até outubro”, disse.

 

Maranhão leva à reunião com Doria preocupação com ocupação de UTIs

O governador João Doria (PSDB) apresentou ontem (29) as diretrizes do Plano São Paulo de flexibilização do comércio aos prefeitos da região metropolitana de São Paulo, duran­te teleconferência transmitida do Palácio dos Bandeirantes. O plano prevê a flexibilização gradual e he­terogênea da quarentena no Estado, com possibilidade de reabertura gradual de comércios e serviços não essenciais a partir do dia 11 de maio.

“Vamos seguir rigorosamente a quarentena até 10 de maio, até mesmo porque nosso sistema inteligente tem indicado redução na taxa de isolamento em algumas cidades”, afirmou Doria. Na última terça-feira, o ín­dice no Estado ficou em 48%.

O presidente do Consórcio Intermunicipal e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (Cidadania), levou à reunião a preocupação do ABC com a ocupação dos leitos de terapia intensiva. “A situação da epidemia é muito grave. Estamos no limite, mesmo após os municípios da região terem inaugurado hospitais de campanha e aberto novos leitos”, disse. (Reportagem Local)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*