Curiosidades

Conheça os quatro principais tipos de ensino híbrido e como utilizá-los no WhatsApp

Em 2020 a adaptação da educação presencial para outras formas de ensino se tornou essencial. Agora, em 2021, algumas instituições continuarão totalmente a distância enquanto outras escolheram aderir ao sistema híbrido. Esse modelo de ensino é uma das maiores tendências para a nova década.

Para ajudar a conhecer mais sobre esse sistema, a edtech ChatClass elaborou uma lista com quatro sistemas de ensino híbrido e suas definições. Confira:

1- Flex

Este modelo se tornou bastante popular durante o distanciamento social, pois é caracterizado pela presença de um professor em tempo parcial, via plataforma digital. Os alunos recebem roteiros e atividades para serem realizadas de forma on-line, com o professor por perto em parte do tempo. E esses momentos são intercalados com projetos e atividades mais práticas que os alunos podem desenvolver de maneira colaborativa com outros alunos.

O WhatsApp é um grande aliado a este modelo. Com os grupos, é possível se comunicar com os alunos para tirar dúvidas dos alunos e fazer “chamada”. Já nas conversas individuais, é possível aprofundar nas dúvidas de cada aluno, fazendo um ensino personalizado.

2- Laboratório Online

Este modelo consiste na disponibilização de um curso inteiro em plataforma digital, mas que é realizado de maneira síncrona e coletiva, em um ambiente físico. É o laboratório de informática como sala de aula. Ele exige uma adaptação mais completa do material didático e do currículo do curso como um todo, já que acontece totalmente por meio de um computador, mas conta com a presença de um professor ou tutor para suporte. Aqui também é possível utilizar o WhatsApp, mas na sua versão Web que é no computador.

3- Laboratório rotacional ou Rotação

Uma variação do modelo de Laboratório on-line é o Laboratório rotacional (ou rotation lab). Ele propõe a alternância dos alunos entre o espaço físico da sala de aula e o laboratório de informática. Os alunos são divididos em dois grupos e, enquanto um trabalha no laboratório com uma lista de atividades para realizar com apoio da tecnologia digital, o outro trabalha na sala de aula com o professor. Os grupos de WhatsApp também são uma ferramenta interessante para controlar as turmas que estão fazendo a rotação.

4- Sala de aula invertida

Neste modelo, os alunos recebem previamente, por meios digitais, um material de insumo, com a apresentação do conteúdo a ser abordado. Depois deste primeiro momento, os alunos, na sala de aula, junto do professor, tiram as dúvidas, resolvem exercícios, discutem o tema e aplicam o conhecimento adquirido de maneira prática, sem passar pela tradicional aula expositiva.

Neste modelo, os grupos de WhatsApp também são uma grande ajuda. Professores podem enviar material sobre o conteúdo da aula antes que ela comece, como por exemplo atividades, resumo, vídeos no Youtube, podcasts, entre outros materiais. Depois dos alunos acessarem os materiais, o professor dá atividades e dinâmicas nas aulas (presenciais ou online), focando menos na teoria e mais na fixação de conceitos.

Com todas essas possibilidades, as instituições de ensino podem escolher e aprimorar qual modelo melhor se encaixa com suas necessidades.

“Sabemos que a educação é uma área que precisa engajar muitos grupos como os pais, alunos, professores, gestores, editoras, entre outros. E também sabemos que o desafio atual é bem grande e complexo. No entanto, também é preciso inovar e conversar sobre essas e outras metodologias que estejam alinhadas com o futuro da educação. A hora é agora”, destaca o CEO e fundador da ChatClass, Jan Krutzinna.

Sobre a ChatClass:

Startup fundada em Nova York e idealizada pelo empreendedor alemão Jan Krutzinna, a ChatClass visa democratizar o ensino bilíngue por meio de tecnologias já inseridas no cotidiano dos alunos. Desenvolveu sua Inteligência Artificial para educação que funciona via WhatsApp e também traz o Intercâmbio em Sala de Aula, que conecta professores, alunos e tutores estrangeiros para que possam praticar o Inglês da melhor forma: falando. Já impactou mais de 500 mil alunos de escolas públicas e particulares de todo o Brasil e foi selecionada por programas como Estação Hack do Facebook e Google For Startups, além de ter recebido investimentos da Canary e Graph Ventures.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*