Diadema, Minha Cidade, Sua região

Comunidade escolar pede mais segurança em Diadema

Cerca de 50 pessoas participaram de reunião com a GCM, Polícia Militar e Secretaria de Educação. Foto: DivulgaçãoPais, alunos, professores e funcionários da Escola Municipal Dr. José Martins da Silva, no bairro Eldorado, em Diadema, participaram de reunião na tarde ontem (4) com representantes da Secretaria de Educação, Guarda Civil Municipal (GCM) e Polícia Militar. O encontro, que foi convocado como uma manifestação, inicialmente, teve como objetivo debater soluções de segurança para o entorno da escola, cujos funcionários têm sofrido com constantes assaltos. Cerca de 50 pessoas participaram da reunião.

Na quinta-feira, um dos diretores e uma funcionária da limpeza foram assaltados dentro do estacionamento da escola. A funcionária chegou a ser agredida. Segundo relato de professores, apenas este ano já foram oito assaltos a pais e funcionários. “Quando ocorre, a polícia vem, passa uma semana escoltando nossa entrada, nossa saída, mas quando vão embora, começa tudo de novo”, reclamou uma profissional que não quis se identificar.

Os diretores convocaram a comunidade para um ato, às 13 horas de ontem, que acabou se transformando na reunião. “A situação ontem (na quinta) atingiu um limite. Estava contando uma história para a turma e fomos interrompidos pelos gritos da funcionária que estava sendo assaltada e agredida, dentro do estacionamento, dentro da escola”, relatou outra educadora. “As crianças ficaram muito assustadas”,destacou.

A vice-presidente do Sindicato dos Funcionários Públicos de Diadema (Sindema), Mara Neide Hora, destacou que a unidade sofre há anos com problemas de violência e que há a necessidade de medidas preventivas que incluem reformas no prédio, que conta com muros baixos, falta de iluminação no estacionamento e nenhum controle de acesso. Relatórios feitos pelo Sindema serão encaminhados para a Câmara e para administração municipal.

Registros

Em nota, a Prefeitura de Diadema informou que a Secretaria de Educação tem ciência da situação e que de janeiro a 4 de agosto ocorreram quatro registros de crime na unidade. “Nesta sexta-feira (4), foi realizada reunião com representantes das secretarias de Defesa Social e Educação, além das polícias civil e militar, professores e pais de alunos. Foi definido planejamento de ações de curto, médio e longo prazo. A Polícia Militar intensificará o policiamento e a GCM estará presente no interior da escola e arredores”, informa a nota.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*