Minha Cidade, Santo André, Sua região

Compensação tributária na Saúde de S.André inicia com 10 mil atendimentos por mês

Paulo Serra cumprimenta Benedita Canhassi, antes da realização de sua tomografia do crânio. Foto: Ricardo Trida/PSAA Prefeitura de Santo André e o Hospital Dr. Christóvão da Gama divulgaram ontem (3) a assinatura do termo de compensação de débitos, o primeiro dentro do programa Saúde Fila Zero. A instituição é uma das maiores devedoras da cidade entre os estabelecimentos de saúde e a expectativa é que sejam realizados 10 mil procedimentos, entre exames de diagnóstico e consultas, por mês. A fila de espera atualizada de pacientes que aguardam por consultas e exames é de 111.281 pessoas.

“O programa não começou hoje, mas sim, em 8 de abril, com o mutirão de consultas e a realização de 8 mil atendimentos”, afirmou o prefeito Paulo Serra (PSDB). “De lá para cá tivemos outras ações dentro dessa iniciativa, como a reabertura do Hospital Dia, que já realizou 61 pequenas cirurgias e a reordenação da rede com implementação de protocolos para melhorar o aproveitamento de recursos”, destacou.

Segundo o prefeito, entre o dia 8 de abril e ontem (3) foram realizados 17.216 atendimentos, entre consultas e exames. Novos mutirões devem ser realizados. “Temos ainda uma fila bastante considerável, a maior do ABC entre todas as cidades, e vamos continuar com os mutirões, entre a última semana de maio e a primeira de junho”, pontuou Serra.

“Não se trata só de zerar a fila. Precisa ser feito com qualidade, com respeito, tratamento humanizado e, mais do que isso, não deixar que essa fila, quando termine, já tenha outra formada. Nossa meta é que quando a saúde voltar a funcionar fora da situação de emergência que está hoje, que tenha um prazo que respeite a dignidade das pessoas”, destacou.

O hospital não divulgou o valor do débito com a prefeitura, adquirida com o não pagamento do Imposto Sobre Serviços (ISS) nos anos de 2013, 2014 e 2015. O diretor administrativo e financeiro da instituição, Walmir Batista de Moraes, explicou que a dívida foi acumulando devido a perdas financeiras do hospital com convênios. O diretor técnico do hospital, Newton Takashima, detalhou que serão destinadas, inicialmente, três consultórios e duas salas de exames para os atendimentos oriundos da rede municipal, que serão agendados pela prefeitura.

A administração não informou quantos procedimentos podem ser feitos considerando a dívida do estabelecimento. “Seguramente, dá para a gente zerar a fila e não permitir que outra fila se forme”, declarou o prefeito. Outros estabelecimentos estão em negociação com a prefeitura para assinatura de acordo de compensação, mas os nomes das empresas não foram divulgados. A dívida dos estabelecimentos de saúde com Santo André é de cerca de R$ 246 milhões.

Fila de espera

Após a assinatura do termo de compensação tributária com o Hospital Dr. Christóvão da Gama, duas munícipes de Santo André realizaram ontem (3) seus exames. A aposentada Therezinha Maria Dias fez um ultrassom de mamas, após dez meses de espera. “Cheguei a pensar que ia morrer sem fazer”, afirmou a aposentada.

A aposentada Benedita de Lourdes Santos Canhasse, há três anos aguardava por uma tomografia para diagnosticar as causas de uma forte e insistente dor de cabeça. “Agora tenho a esperança de saber finalmente o motivo dessa dor”, disse.

A secretária de Saúde, Ana Paula Peña Dias, frisou que é preciso que os pacientes atendidos no Fila Zero retornem as duas unidades básicas de referência, para continuidade dos tratamentos. “Vamos trabalhar para que esse paciente siga sendo cuidado e não volte a precisar desse atendimento em um ou dois anos”, pontuou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*