Economia, Notícias

Comércio aposta em drive thru e delivery para vender ovos de Páscoa

Comércio aposta em drive thru e delivery para vender ovos de Páscoa
Consumidora observa ovos pendurados nas parreiras. Foto: Paulo Guereta/Agência O Dia/Estadão Conteúdo

Com a maior parte dos bra­sileiros em isolamento social para conter o avanço do no­­vo coronavírus, a Páscoa des­te ano – que será comemorada no próximo domingo (12) – deve ser a menos do­ce desde a recessão. Para evitar que os ovos de chocolate en­calhem nas parreiras, o varejo se rein­ventou e, além do delive­ry, oferece o inusitado serviço de drive thru (retirada do pedido sem sair do carro), para não dei­xar a data passar em branco.

É o caso do Shopping ABC, de Santo André, que vai ofe­recer hoje (9) a retirada de pro­dutos na doca 1 (entrada pela avenida Pereira Barreto) do empreendimento. Para ter aces­so ao serviço, o interessado deve fazer o pedido pelo WhatsApp das lojas participantes e agen­dar a retirada. São seis comércios parceiros: Cacau Show, Bra­­sil Cacau, Chocolateria Bra­si­leira, Casa Bauducco, Havanna e So­diê Doces. A relação de conta­tos está disponível no si­te www.shoppingabc.com.br.

O São Bernardo Plaza também oferece o serviço de drive thru. Até sábado, o consumidor poderá fazer o pedido nas lojas Americanas, Cacau Show e Kopenhagen do empreendimento e agendar a retirada.

No Grand Plaza Shopping, também de Santo André, as lojas Kopenhagen e Bra­­sil Cacau oferecem entrega grátis para compras acima de R$ 100. O serviço é oferecido por meio do Deli­very Center do On Sto­res, plataforma de ecommerce do shopping – a área de abrangência deve ser consultada no site. O interessado deve acessar o site https://loja.grandplazashopping.com.br.

Quem também se adaptou para atender à clientela durante a pandemia foi a Lacta. Desde ontem, quem entrar no aplicativo do Uber Eats poderá acessar o portfólio do fabricante de chocolates, por meio da Americanas, e receber o pedido em casa, mediante consulta do CEP informado. As compras acima de R$ 50 têm frete grá­tis e o serviço está disponível em mais de 140 municípios.

Entre os supermercadistas, a expectativa é de que as vendas melhorem nos dias que antecedem a data comemorativa. Na rede de supermercados Hirota, que possui duas unidades no ABC, há promoções na linha “leve quatro e pague três” e descontos de até 50% na compra do segundo ovo.

As ações visam salvar as vendas em uma Páscoa na qual o chocolate será um coadjuvan­te. A Associação Paulista de Su­permercados (Apas), por exem­plo, projeta retração de 10,5% nas vendas de produtos relacionados à data na Grande São Paulo. Antes da pandemia, a previsão era de alta de 2,2%.

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) espera que­da ainda maior, de 31,6%.

Além da redução no fluxo de consumidores nas lojas por conta do isolamento social, deve atingir o varejo da Páscoa a aversão a produtos não essenciais, decorrente da redução da confiança em um momento de incertezas quanto ao mercado de trabalho.

“Neste período (da pandemia) já é possível observar mudança de comportamento do consumidor na busca por alimentos com maior durabilidade, como arroz, feijão e carnes salgadas ou enlatadas. Isso indica que há direcionamento da renda para preparar os estoques domiciliares aos momentos de quarentena, res­tando menos recursos dispo­níveis para aquisição de itens supérfluos, como os ovos de Páscoa”, diz em nota a Fe­de­ração do Comércio do Esta­do de São Paulo (FecomercioSP).

INFLAÇÃO

Ainda segundo a entida­de, chocolates e bombons es­tão 8% mais baratos do que há um ano. Na mesma comparação, os ingredientes que compõem a tradicional feijoada ficaram 4,3% mais caros.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe eu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*