Arte & Lazer, Roteiro

Começa a Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba em edição especial online

Neste momento, a Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba, em Santo André, será virtual de 12 de março a 30 de abril. Assim que possível voltará a ser presencial. O evento conta com o apoio daLei de Emergência Cultural Aldir Blanc que permitiu a sua ampliação e a contratação de muitos artistas de diversas áreas. Além das atividades de expositores da feira, acontecerão outras apresentações como musicais, teatro, circo, literatura, artes visuais, oficinas e contação de histórias. Muitos artistas puderam ser contemplados e ajudados nesse período de pandemia impulsionando a cultura e as artes. A produção executiva e a curadoria são deAnita Carvalho e Leonete Accetto e a proponente do projeto é a empresa Ba Rocco Produções.

Teaser da feira: https://youtu.be/ItXmYKCvulM

Ao todo serão 130eventos de 43 expositores da Feira, 14 artistas visuais, 7 oficinas de expositores, 8 oficinas de capoeira, ioga, danças africanas, ginástica, plantas comestíveis, tapeçarias, 37 apresentações musicais, 3 saraus; 5 grupos de circo, 6 grupos de teatro infantil e 6 contações de história. Mais de 220 artistas serão contemplados com o projeto. Os links de visualização são: site, http://www.fparanapiacaba.com.br/, Facebook, @feiraparanapiacaba, instagram, @fparanapiacaba e youtube, https://www.youtube.com/channel/UCkybq5v5kXvN5UcTxShNneg

Alguns destaques são o Sarau da Floresta com poemas que contam histórias indígenas, da mata atlântica e o sarau com histórias de Paranapiacaba, Paranapiacaba: afetos e memórias. Grupos como: Irmandade do Blues, Serial Funkers, Os Desconhecidos, O Bardo e o Banjo, Fanta Konatê e Trupe Djembedon, Cia. Corpo Mágico e Irmãos Becker. Os grupos infantis farão, entre outros espetáculos, releituras de grandes clássicos como Três Porquinhos, Pinóquio e o Flautista de Hamelin. Entre os músicos: Ellen Oléria, Kleber Albuquerque, Graça Cunha, Rodrigo Régis, Marquinho do Pandeiro e Adriano Grineberg. Nas artes visuais, destaque para Valdo Rechelo, Milton Toller, Edu Guimarães, Elton Hipólito e Croma.

Desde 2015 é realizada a Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba com expositores de toda região metropolitana de São Paulo e vários moradores da vila. Entre as artes, há o tradicional artesanato em tecidos, linhas e pedras e antiquários. A feira também tem parceria com grupos que buscam novas formas de interagir com mercado de trabalho de forma coletiva, como a Associação Fibras da Serra e o Coletivo FOOP.

Paranapiacaba é uma vila criada pelos ingleses entre 1865 e 1867 para dar moradia aos ferroviários da linha Santos-Jundiaí, uma das ligações ferroviárias pioneiras do Brasil. Pertencente a Santo André, a vila é cercada por belezas naturais com clima ameno.


Programação da Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba:

Todos os eventos são disponibilizados em vídeos. A maioria no dia 12 de março, outros em datas específicas como mencionados abaixo:

Música: Serão exibidas apresentações de 37 artistas ou grupos.

Literatura: Serão apresentados 3 saraus.

Cênicas:

Circo – 5 grupos.

Teatro – 6 grupos teatrais para crianças.

Contação de história – 6 contações de histórias.

Oficinas: 8 oficinas de capoeira, danças africanas, ginástica brincante, yoga, Pancs (plantas comestíveis) e tapeçaria.

Oficinas de expositores: 7 expositores ministrarão oficinas de crochê, cerâmica, marcadores de página, origami, bordado, peças de vidro com decoração em feltro entre outras.

Artes Visuais: 14 artistas visuais, muralistas, fotógrafos, artistas plásticos, mostrarão seus trabalhos em vídeos.

Tapeçaria de Anita Carvalho – Foto de Cleciane Tomé

Artesãos / Expositores da Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba: 43 expositores dos mais diversos produtos artesanais, antiguidades, gastronomia, café artesanal, cerâmica, etc.

Atrações:

Música: 

Ellen Oléria

Ellen gosta de dizer que faz música brasileira, na sua maior diversidade, com um repertório que atinge grande diversidade de público. A artista mistura elementos de jazz, samba, pop, hip hop e as manifestações do regionalismo brasileiro como o congado, os afoxés e o carimbó. Atua desde o ano 2000 como cantora, compositora e instrumentista autodidata. No ano de 2012, ganha notória visibilidade ao ganhar o título do reality show The Voice Brasil exibido pela Tv Globo. Em 2015 se apresentou na Rússia, e faz sua primeira turnê no Japão. Ellen Oléria completa mais de 15 anos de carreira e lançou seu terceiro álbum solo, Afrofuturista. O show contará com músicas autorais deste álbum.

Ficha técnica:

Ellen Oléria –  voz/ violão

Léo Carvalho – bateria

Vinícius Sampaio – baixo

Duração: Show de 50’

Site: https://www.ellenoleria.com.br/

Kleber Albuquerque
Data: 17 de abril, sábado, às 20h

Indicado em 2018 ao Prêmio de Música Brasileira, o cantor e compositor Kleber Albuquerque tem canções de sua autoria interpretadas por artistas como Zeca Baleiro, Fábio Jr., Ceumar, Vanusa e Márcia Castro, entre outros. Com seis álbuns autorais gravados, atualmente lança pelo selo Sete Sóis o seu novo álbum intitulado Os Antidepressivos Vão Parar de Funcionar, que acaba de ser pré-indicado ao Prêmio Dynamite de Música 2020. O show promete revisitar canções de autorais de seus álbuns.

Ficha técnica:

Kleber Albuquerque – voz/ violão

Duração: Show de 50’

Youtube: https://www.youtube.com/kleberalbuquerque

Fanta Konatê e Trupe Djembedon

Data: 24 de abril, sábado, às 20h

Um show de música e dança da África Oeste e Diáspora

Fanta Konatê apresenta com sua voz, a musicalidade das tradições africanas, suas danças expressam a alegria e a vitalidade de um povo que se reúne diariamente para celebrar a vida. Um show de música e dança da África Oeste e Diáspora. Instrumentos ancestrais e contemporâneos que preservam a identidade africana do ensemble de Djembês e Dununs, tambores da Etnia Malinkê (Guiné/Mali), e expandem do jazz do oeste africano às culturas populares do Brasil. Fanta Konatê se apresenta com o grupo Djembedon. O show conecta o público à África real dos saberes, belezas e resiliência através de temas, dinâmicas e andamentos variados das composições que expressam a alma dessa embaixadora cultural da República da Guiné: Fanta Konatê!!! Atual, ancestral e autoral, da Guiné e Brasil, com muito respeito e muita alegria, para o mundo todo!!!

Ficha tecnica:

Fanta Konatê (cantora, compositora, bailarina)

Luis Eduardo Ferreira Kinugawa (Djembês)

Pablo de Moraes Prearo (guitarra karinham)

Manoel Batista Faria Neto (Sangban e Octapad)

Dirceu Marques Junior (Dunumbá)

Fabio Luiz Serra (Kenkenis)

Koria Konatê (Cantora, bailarina)

Bangaly Konatê (Djembê)

Duração: Show de 50’

Instagram: @ fanta_konate

Irmandade do Blues

Data: 27 de março, sábado, às 20h

Pela primeira vez nos 28 anos de história do Irmandade do Blues, que hoje é a banda de blues a mais antiga do estado de São Paulo em atividade, fará um show exclusivamente com músicas autorais. A banda que conta com 4 Cds e 1 Dvd em sua bagagem, se tornou uma referência nacional na segunda metade dos anos 90, com suas versões pesadas e requintadas para grandes clássicos do Blues. Com o tempo descobriu um caminho bastante produtivo com as composições autorais, haja vista a imensa capacidade da banda para fazer grandes arranjos, apenas começaram a colocar letras em ideias que utilizariam em outras músicas.

Ficha técnica:

Vasco Faé – Gaita, vocal e guitarra

Silvio Alemão – Baixo

Fernando Lóia – Bateria

Duração: Show de 50’

Serial Funkers

Data: 13 de março, sábado, às 20h

Serial Funkers nasceu com o intuito de levar para as noites paulistas um som que consideram uma mistura de soul music, samba, R&B, baseado no melhor do que chamam funk de raiz, e no balanço da música brasileira. A banda já dividiu o palco com grandes nomes da black music nacional, como Sandra de Sá, Tony Garrido, Ed Motta, Cláudio Zoli e Negra Li, Participou da segunda temporada do programa televisivo Super Star (rede Globo), e tocou na abertura do show da diva americana Gloria Gaynor, em 2007. Neste show, a banda apresentará um repertorio totalmente autoral.

Ficha técnica:

Régis Paulino – Voz

Luciano Ribeiro – Baixo

Luguta – Bateria/ vocais

Herbert Medeiros -Teclados

Duração: show de 45’

Instagram: @oficialserialfunkers

Marquinho do Pandeiro e Tuco Pellegrino 

Data: 20 de março, sábado, às 20h

Sempre há tempo para se reinventar e dar outro passo na vida. Prova disso é o veterano do samba carioca Marquinhos do Pandeiro. Agora, aos 74 anos, tira do bolso seu primeiro disco solo e autoral, batizado Claridade da Portela. O show é focado em Claridade da Portela, composição em homenagem a madrinha da Velha Guarda Clara Nunes. São canções autorais feitas individualmente e, ou, compostas em parceria com diversos amigos/compadres adquiridos ao longo da vida. No Cd e show, Marquinho do Pandeiro demonstra desenvoltura ao cantar os amores, mas também se sai muito bem ao interpretar os dissabores, conforme é possível conferir na belíssima “A grande conquista”, um samba emocionante!

Ficha técnica:

Marquinho do Pandeiro – Voz/ pandeiro

Tuco Pellegrino – Cavaquinho/ voz

Camarão Neto -Percussão

Rafael Oliveira -Violão

Duração: show de 50’

Instagram: @marquinhodopandeiro

Os Desconhecidos

Data: 3 de abril, sábado, às 20h

Os irmãos Schivittez formam a Banda de Punk Rock Infantil cada vez mais conhecida no Brazil e em outros países, com vasto repertório autoral em português, inglês e espanhol, apresentam um show com o repertório do último álbum “Viemos em Pás” lançado em 2020 além de outras composições.

Ficha técnica:

Felipe Schivittez – Guitarra e voz

Dennis Schivittez – Bateria e voz

Emilly Schivitez   – Baixo e voz

Duração: Show de 50’

Instagram: @osdesconhecidosrocksbc

Graça Cunha e Dino Barioni
Data: 2 de abril, sexta-feira, às 20h

Graça Cunha, cantora paulistana com 27 anos de carreira, atuou em teatro musical, gravou mais de 3000 jingles e locuções publicitárias e trilhas para cinema e desenho animado. Fez parte da banda feminina do programa Altas horas apresentado por Serginho Groisman na Rede Globo por 10 anos. Tem 2 álbuns lançados,3 EPS e 2 indicações ao Grammy Latino. Seu repertório é bastante eclético, onde interpreta mpb, samba, jazz, blues, soul e pop. Foi uma das juradas do programa Canta comigo da Tv Record, apresentado por Gugu Liberato nas temporadas de 2018 e 2019. Foi escolhida pela Disney para dublar a voz de Sarabi, a mãe de Simba no filme Rei Leão que estreou nos cinemas em julho de 2019. Nesse evento Graça Cunha cantará 2 músicas de sua autoria, “Saudade e solidão” que foi gravada no seu primeiro álbum “De virada” e “Mulheres de gaya”, acompanhada pelo guitarrista e arranjador Dino Barioni.

Ficha técnica:

Graça Cunha – voz

Dino Barioni – guitarra

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @gracacunhaoficial

Márcia Cherubin

Marcia Cherubin, cronista, cantora e compositora trarão canções de sua autoria que foram as mais premiadas em sua estrada festivaleira. Márcia ganhou mais de 100 prêmios em festivais de música pelo Brasil, dentre eles, 80 de primeiro e segundo lugares. As músicas serão “Rodas” e “Todo Possível”, um ato de amor e afeto na veia das questões sociais e do sentido humano, no melhor da MPB.

Ficha técnica:

Márcia Cherubin – voz

Duração: Até 10’ (2 músicas) 

Luciano Sallun

Luciano Sallun, formado em musicoterapia, pesquisa e cria diversas possibilidades dentro da música étnica e multicultural. Seu principal projeto musical é o grupo Pedra Branca que atua desde 2001, referência na fusão da world music e contemporânea, música indiana, árabe, turca e cigana, junto a cultura brasileira e vertentes ocidentais. Passou pela India, Marrocos e Turquia. Seus temas e melodias levam em uma viagem pela música oriental com muita brasilidade.

Ficha técnica:

Luciano Sallun – sitar

Percussão –  Alan Gonçalvez

Duração: Até 5’ (1 música)

Adolar Marin

Data: 14 de março, domingo, às 19h

Adolar Marin apresentará a música “Compostelana” que faz parte do seu mais recente Álbum Outros Caminhos. A canção que abre o CD já tem história: foi premiada no FEMUCIC, uma das grandes mostras de música do Brasil, realizada em Maringá. E é a primeira parceria com Flávio Alves com quem Adolar firmou uma constante e frutífera parceria musical.

Ficha técnica:

Adolar Marin – voz, violão

Duração: Até 5’ (1 música)

Instagram: @adolarmarin

Marco Vilane
janga

Experiência e inovação marcam as inspirações musicais do cantor e compositor Marco Vilane. Já são 4 discos e em cada novo trabalho estão suas referências, sua história, sua autoria, seu lugar de expressão Sons diversos, daqui, de la, espalhados. O poeta-compositor-cantor, Marco Vilane apresntará uma música de seu mais recente álbum TUDO EM SEU LUGAR, com  pitadas de reencontro com a poesia nordestina clássica, regiões, povoados, sotaques, as brasilidades.

Ficha técnica:

Marco Vilane – voz, violão

Duração: Até 5’ (1 música)

Instagram: @marcovilane

Vasco Faé

Data: 4 de abril, domingo, às 19h

Vasco Faé adquiriu totalmente por acaso sua primeira gaita aos 16 anos em 1987, e de lá até hoje foi um longo caminho cheio de histórias pra contar. Hoje é reconhecido como um grande nome do cenário do Blues no Brasil, apresentará neste projeto as músicas Furacão e Worried Mind, ambas de sua autoria.

Ficha técnica:

Vasco Faé – Gaita, vocal e guitarra

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @manoblues1971

Fabio Kidesh

Data: 21 de março, domingo, às 19h

Apresentação de música clássica da Índia. Ragas, a música milenar da Índia ainda hoje toca as pessoas, traz uma paz. Fábio kidesh tocará o Raga Bhairavi, uma peça da música clássica de profunda interpretação. A música chama-se “Bhairavi”.

Ficha técnica:

Fabio Kidesh – voz/sitar

Duração: Até 5’ (1 música)

Instagram: @fabiokidesh

João Cristal e Dino Barioni

João Cristal, pianista, arranjador e compositor. O artista já se apresentou com grandes nomes da música brasileira, como Wilson Simonal, Agnaldo Rayol, Vânia Abreu, Elisete Cardoso, Luciana Mello, Paula Lima, Jair Oliveira, entre outros. No repertório composições próprias com assumida influência de seus ídolos como Tom Jobim, Luiz Gonzaga, Hermeto Paschoal, Pixinguinha, entre outros. As composições escolhidas para essa apresentação são “Baifrevo” e “Contraste”. Nesta apresentação João Cristal estará acompanhado pelo guitarrista e arranjador Dino Barioni.

Ficha técnica:

João Cristal – piano e voz

Dino Bairioni – guitarra

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Adriano Grineberg
Data: 28 de abril, quarta-feira, às 20h

Adriano Grineberg, com 25 anos de carreira, é um dos principais nomes do blues contemporâneo no Brasil com participações de destaque nos principais festivais do gênero. Showman, conduz as apresentações com imenso carisma e originalidade em suas composições e releituras de clássicos que trazem além do blues, as suas conexões com as raízes africanas, relações com a música brasileira e influência de países da Ásia como Índia e Paquistão. Seu álbum mais recente “Blues for Africa” rendeu ao pianista, cantor e compositor paulistano o Prêmio Profissionais da Música por dois anos seguidos (2016 e 2017). Em 2020 foi vencedor do HDB CONDECORA na categoria de melhor instrumentista de Blues do Brasil. Apresentará as músicas autorais, uma do álbum Blues for Africa que faz uma referência e homenagem ao povo Tuareg do deserto do Saara através de sua poesia, expressão e música que veio influenciar o Blues na América do Norte nos tempos da escravidão. Olodumare (Adriano Grineberg), outra faixa autoral do álbum Blues for Africa. Hino em homenagem aos principais orixás do candomblé africano.

Ficha técnica:

Adriano Grineberg – piano / voz

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @adrianogrineberg

Juliana Lima
Data: 11 de abril, domingo, às 19h

Juliana Lima é uma cantora, instrumentista e compositora de Santo André. Possui 23 anos de carreira, com 6 CDs e 1 DVD gravados! Compôs mais de 500 músicas e já realizou turnê já Argentina, na Europa, passando por países como Portugal, Espanha, Itália e Irlanda! Abriu shows de artistas como Ana Carolina, Roupa Nova e Rita Benedita! Dividiu o palco com artistas como Elba Ramalho, Nila Branco, entre outros! Apresentará a música autoral “Pode ser “O Dom””.

Ficha técnica:

Juliana Lima – voz/ violão /acordeon

Duração: Até 5’ (1 música)

Instagram: @oficialjulianalima

Duo Fryvan
Data: 18 de abril, domingo, às 19h

O Duo Fryvan traz uma novidade no cenário violonístico atual. Sua despretensão, serenidade e autoconfiança, são claramente visíveis em suas composições, onde o bom gosto e a “ecologia acústica” de suas paisagens sonoras, estão acima da técnica e virtuosismo recorrentes a este gênero. Nesta apresentação o Duo mostrará uma de suas músicas mais conhecidas “Paranapiacaba”, esta, além de ser a sua primeira composição, é também um convite perfeito para quem quer conhecer a charmosa Vila de Paranapiacaba através da música.

Ficha técnica:

Fredy Louis Pietz – vilão

Ivan Sakavicius Moisés – violão

Duração: Até 5’ (1 música)

Fabíola Mirella e Sérgio Penna

Em 2015 Fabíola Mirella e Sérgio Penna, com experiências musicias adquiridas ao longo de vários anos resolveram montar a dupla e lançaram em 2017 o álbum intitulado “Estrada de Terra”. Em 2018 a dupla entrou com a música “Meu Sertão” no álbum Viola Paulista pelo selo Sesc sob Coordenação do Professor e Violeiro Ivan Vilela. A dupla apresenta repertório com canções autorais ao som da viola caipira, valorizando a cultura e a tradição do homem do campo. A apresentação desse dueto em duas vozes acompanhadas por duas violas com arranjos elaborados passará  por variados ritmos, como: toada, cateretê, cururú, guarãnia, pagode de viola, recortado, etc. A música escolhida pelos artistas é “Meu Sertâo”.

Ficha técnica:

Fabiola Mirella – viola/ voz

Sérgio Penna  – viola/ voz

Duração: Até 5’ (1 música)

Instagram: @fabiolamirellaesergio

Gileno Foinquinos

Gileno Foinquinos, natural da cidade de Cametá no Estado do Pará. Trabalhos com vários artistas como Edgar Scandurra, Felipe Cordeiro, Manoel Cordeiro, Wilson Simoninha, Max de Castro, Maria Gadú, Renata Fausti, Leo Maia, Maria Rita. A guitarrada apresentada por Gileno Foinquinos traz uma sonoridade tropical muito influenciado por ritmo caribenhos como merengue, soca, zouk, e alguns ritmos do Norte do país como Carimbó, lundu, siriá, bangüê numa efervescente mistura musical que só a guitarrada proporciona. A música apresentada será “Balanço no casco”. Alteração música: Caeique Camuta

Ficha técnica:

Gileno Foinquinos – voz/ guitarra

Duração: Até 5’ (1 música)

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCeQsyl_8TDXDOvCX7dnoWMg/featured

Ba Kimbuta

Ba Kimbuta, andreense, hoje residente de Mauá. Ativista Militante da Causa Preta desde sempre, tem entre suas obras, a prima intitulada UPP – Universo Preto Paralelo, reconhecido em toda comunidade como importante obra de emancipação do povo preto no Brasil. Apresentará a música autoral “Quadro Torto”.

Ficha técnica:

Ba Kimbuta – MC

Duração: Até 5’ (1 música)

Youtube: https://www.youtube.com/user/Bakimbuta1 

Zé Terra

Data: 25 de abril, domingo, às 19h

Neste vídeo a história é contada com uma viola em afinação Rio Abaixo (em sol maior). A letra fala de um encontro entre duas lendas distintas da música (um encontro fictício). Tião Carreiro, violeiro e rei do pagode caipira e de Robert Johnson o rei do blues. Um brasileiro e um americano que deixaram em suas músicas muitas histórias, se transformando em lendas. A letra tem o formato de cordel e é acompanhada da voz, viola e de um slide guitar. O encontro da música caipira brasileira e do blues por Zé Terra. Música: Tião Johnson (Zé Terra).

Ficha técnica:

Zé Terra – Viola na afinação Rio Abaixo (G) / Voz e slide guitar

Duração: Até 5’ (1 música)

Instagram: @ze_terra_oficial

Rosana Puccia e Davi Pasqua

A dupla apresenta duas músicas de sua autoria.

Xote Pra Agradar Você”

Ficha técnica:

Música: David Pasqua

Letra: Rosana Puccia

Vocais e artistas do clipe: Rosana Puccia e David Pasqua

Arranjo e produção musical: David Pasqua

Acordeon: Lucas Coimbra

Baixo acústico: Vinícius de Almeida

Zabumba: Vitor Coimbra

Bateria, triângulo e claves: Lello Araújo

Youtube: https://www.youtube.com/user/rosanapuccia

El Adiós Que No Te Di

Ficha técnica:

Música: David Pasqua

Letra: Sandra Lya (em memória)

Voz e atuação: Rosana Puccia

Arranjo, produção musical e piano: David Pasqua

Bandoneon: Martin Mirol

Baixo acústico: Marcelo Rocha

Bateria: Edson Ghilardi

André Calixto

O multi-instrumentista André Calixto, apresenta um trabalho autoral de música Regional Brasileira. Acompanhado da viola de 10 cordas, o músico do ABC paulista traz, uma abordagem do cantador que destila suas histórias através da poesia cantada, com a música “Catador de Conchas”. Com 25 anos atuando como instrumentista (sax e flauta), mostra neste trabalho de viola e voz, a canção autoral que sempre fez parte de seu universo musical.

Ficha técnica:

André Calixto –viola e voz

Duração: Até 5’ (1 música)

Elder Costa

Data: 26 de março, sexta, às 20h

Repleto de surpresas, o novo trabalho de Elder Costa traz participações especiais de Milton Nascimento e Zeca Baleiro, além de uma parceria com Paulinho Pedra Azul e a resenha assinada por Ivan Vilela. Em 2003, a canção “Outro Lugar”, de sua autoria, foi gravada por Milton Nascimento no álbum Pietá e fez parte da trilha sonora das novelas Cabocla e Espelho da Vida, da Rede Globo. Compôs e gravou o tema “Dona Benta” para a trilha sonora do Sítio do Pica-Pau Amarelo, em 2005. A canção interpretada será “Meio lá meio cá”, uma parceria de Elder Costa e Madhav Bechara. A canção foi gravada no recém Cd de Elder e teve a participação especial de Zeca Baleiro. Essa música foi composta pra integrar em um projeto lítero-musical sobre a arte e cultura da serra da Mantiqueira, que se chama “Mantiqueira Musa”.

Ficha técnica:

Elder Costa – violo / voz

Duração: Até 5’ (1 música)

Youtube: https://www.youtube.com/user/ElderCostaOficial

Lucas Coimbra

Ao som da sanfona, Lucas Coimbra interpreta uma de suas composições criada em período de isolamento, misturando a música tradicional brasileira com influências do jazz. “Liquidação” é a música autoral escolhida para esta apresentação.

Ficha técnica:

Lucas Coimbra – voz/ acordeom

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @lbcoimbra

Tuco Pellegrino

Data: 16 de abril, sexta-feira, às 20h

Tuco Pellegrino cantor e compositor, integrante da Ala de Compositores da Portela, possui 2 discos solos gravados além de 02 discos com Cristina Buarque e Terreiro Grande. Atualmente faz um trabalho solo e é integrante do Glória ao Samba. A apresentação será composta de duas músicas inéditas do compositor, “Mensagem Subliminar” e “Zero com Nada”.

Ficha técnica:

Tuco Pellegrino – cavaquinho / voz

Camarão Neto -Pandeiro

Rafael Oliveira -Violão

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @tucopellegrino

Rodrigo Régis

O cantor e compositor andreense Rodrigo Régis apresenta músicas inéditas do seu novo álbum, intitulado “Vamos Chamar o Sol”. Com previsão de lançamento para 2021, este que é seu segundo trabalho solo, traz uma estética solar, dançante e tropical, com letras que remetem à leveza e a poesia. As músicas serão:  Vida Leve e Dance Comigo.

Ficha técnica:

Rodrigo Régis – violão /voz

Duração: Até 10’ (2 músicas) 

Monkey Jhayam

Após 12 anos de carreira, Monkey Jhayam se concentra no afrofuturismo, panafricanismo e a pangeia musical trazendo um choque de realidade para combater as desigualdades com a melhor arma, a arte. As músicas autorais apresentadas serão: “Mais Um Dia” e “Desengano da Trindade”.

Ficha técnica:

Monkey Jhayan – Voz

DJ B8 – Disc Jockey

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @MonkeyJhayam

Anette Camargo

Data: 9 de abril, sexta-feira, às 20h

Cantora e pianista, desde os 6 anos atuando na música, participa de vários projetos apresentados, “Anette Camargo Trio”, Projeto Tania Maria, Motown Songs e Anita Baker, em casas de jazz de renome em São Paulo como, Blue Note e outras.  Apresentará seu trabalho autoral divulgado em 2020.

Ficha técnica:

Anette Camargo – voz / piano

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCZUc1UGtiVlnzkG1IKcbhmA

Death Valley Stones
Data: 30 de abril, sexta-feira, às 19h

Banda de rock Santo André, com 5 músicas autorais em inglês, apresentará, dois clipes “Trance” de 2015 e “Existence” de 2019, lançados no primeiro EP em 2019, The Regent.

Ficha técnica:

Fabiano Vênkoff – Voz/Baixo

Libero Dietrich – Guitarra/Backing

Pedro Alzaga – Bateria

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UC8tWlp28co3nF03jue0o-gg

Banda VNKOF 

Data: 19 de março, sexta-feira, às 20h

Num projeto sensível e de muita identidade musical, com a produção musical do renomado Tadeu Patola, a banda questiona o respeito nas canções que apresentará, um trabalho de 2019.

Ficha técnica:

Fabiano Vênkoff – Voz/guitarra / violão

Rafael Chacon – Bateria

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Youtube: https://www.youtube.com/user/FabianoVenkoffMusico

Tata Alves

Data: 23 de abril, sexta-feira, às 20h

Compositora, cantora e violinista, participou de vários festivais levando a premiação de melhor música, melhor vocal, melhor banda e aclamação popular. Já abriu shows de grandes cantores como Elba Ramalho, Falamansa entre outros, e em 2014 gravou pelo selo Sony Music. Apresentará a música “Antes do Big Bang” e “Dendê”, de sua autoria.

Ficha técnica:

Tata Alves – voz/ violão

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UChbyQ0SueYEppREDVNTpyTg

Touro Mecânico

Com instrumentos típicos do bluegrass e inspirada no folk e hillbilly, a banda Touro Mecânico tem uma sonoridade rural com temáticas urbanas. Apresentam duas músicas autorais: Raiz caipira e Casanova.

Ficha técnica:

Felipe Duarte Costa – Bandolim

Rafael Alencar dos Santos – Baixo

Alex Gerald dos Santos – Banjo

Duração: Até 10’ (2 músicas)

Instagram: @bandatouromecanico

Giant Jellyfish

“Underwater Fuzz” é como a Giant Jellyfish, banda de Santo André, define a sua sonoridade, que passeia entre os estilos como o “stoner”, o rock psicodélico, o “doom” e o “grunge”. Em 2018 lançou seu primeiro álbum e um vídeo clipe. Banda do Coletivo Rock ABC, tem participação em vários festivais como o de Inverno de Paranapiacaba, Culturas e Sabores, SBC e assim como em shows no ABC e São Paulo.

Teka Almeida – teclado e voz

Rafa Almeida – guitarra

Cláudio Funari – baixo

Leandro de Villa – bateria

Instagram: @giantjellyfish_band

The Forest

Banda Paulistana formada em 1995, atualmente radicada no ABC paulista. Com influências de bandas clássicas dos anos 80, porém com uma sonoridade mais densa, com guitarras distorcidas, percussões tribais e vocais contrastantes. Com 2 CDs gravados, um deles pertencente ao catálogo do selo inglês “Voiceprint”, além da coletânea lançada na Inglaterra chamada “The Roots of Brazilian Metal”. A Banda integra o do Coletivo Rock ABC.

Ficha técnica:

Sérgio Foltran – guitarra, vocal

Arianne Dorador – teclado, backing

Evandro Barbosa – baixo, backing

Bruno Turbilhão – bateria

Instagram: @theforestband

O Bardo e o Banjo

O show do Bardo e o Banjo é um convite a alegria. A interação do banjo e do violino com a cavalgada do baixo e os gritos entre as melodias, proporcionam o fervor da música folk, levando o espectador ao reconhecimento de uma música diferente. O Bluegrass, gênero tradicional americano, mesclando a música country e a irlandesa, é o principal ingrediente que compõe o estilo da banda. Com 5 álbuns gravados, tocaram em grandes festivais como o Lollapalooza, a música “You need some Hope” fez parte da trilha sonora da novela Paraisópolis, 2015 da rede Globo.

Ficha técnica:

Marcus Zambello – bandolim, violino e voz

Wagner Creoruska – banjo, bateria e voz

Maurício Pilcsuc – baixo acústico e voz
Instagram: @obardoeobanjo

Literatura:

Sarau – Algumas Coisas P[O]R[A] Dizer

Data: 10 de abril, sábado, às 20h

Parece que algumas vezes deixamos coisas por dizer… e dizemos tantas outras que por algum tempo ficaram nos rondando. É dessa maneira que os artistas Edu Guerra, Marcos Lemes e Paulo Dantas se encontram nesse Sarau; prontos para dizer, cantar, ler, tantas coisas que fazem parte do seu universo artístico/estético. Poemas, canções e textos que, de alguma forma, traduzem seus olhares sobre diversos temas.

Marcos Lemes é ator, diretor, iluminador, artista plástico, escritor e professor universitário. Música Falada é seu trabalho mais recente, ao lado do violonista Edu Guerra e do percussionista Gilson Cardoso. O poeta e escritor Paulo Dantas, e o músico Edu Guerra integram o Sarau. Paulo Dantas é também autor de “A butija dos dizer” (coleção Mimo, Alpharrabio, 2018) e da proposta poética do espetáculo Mundo di Versos Incarnados.

Ficha técnica:

Edu Guerra – violão/ voz

Marcos Lemes – poeta/ escritor

Paulo Dantas – poeta/ escritor

Duração: 1h

Instagram: @eduguerradeandre

@marcoslemesartes

Sarau – Sarau da Floresta

Data: 29 de abril, quinta-feira, às 20h

Com mediação do poeta Carlos Lotto, o Sarau Poemas da Floresta apresenta poemas, textos e canções sobre a Mata Atlântica, a cultura indígena e afro-brasileira, preservação, depredação e memória, com a participação do cordelista Moreira de Acopiara e do músico, compositor e videomaker Joel Costamar, todos com repertório próprio. Duração de cerca de uma hora em vídeos pré-gravados.

Ficha técnica:

Carlos Lotto – poeta

Joel CostaMar – violão/ voz

Moreira de Acopiara – poeta de cordel

Duração: 1h

Instagram: @joel_costamar

@carlos.lotto

Sarau – “Paranapiacaba: afetos e memórias”

Este projeto é um vídeo poema, resultado de   produções autorais das artistas Denise Coelho e Rosana Banharoli em homenagem à Vila Histórica Ferroviária de Paranapiacaba, Santo André, São Paulo. Além de músicas e poemas autorais, as autoras darão curtos depoimentos sobre suas memórias e vivências afetivas com inserções de imagens de arquivo pessoal relacionadas à Vila. O projeto, de apresentação, online, tem duração estimada de 30 min e é destinado a todos os interessados em música, poesia e, também, como documento, agente na preservação da memória da única Vila Ferroviária, tombada no país por seus atores locais.

Ficha técnica:

Rosana Banharoli – escritora/ poeta

Denise Coelho – cantora

Duração: 50’

Instagram: @denise.coelho.singer.cantante

@rosanabanharoli

Cênicas:

Circo

Cia Corpo Mágico (espetáculo: Melodias de um sonho)

Data: 14 de março, domingo, às 15h

Integrantes:

Daniela Helena Calça – artista circense, acrobata e bailarina;

Fausto Henrique de Oliveira – artista circense, palhaço e acrobata

A Cia Corpo Mágico apresenta um pocket do espetáculo “Melodias de um sonho”.

Sinopse: “Enriko é um jovem “sonhador” que cumpre todos os dias, com muito orgulho sua obrigação de manter limpa e bonita a praça que sempre foi cenário de suas brincadeiras e sonhos de infância. Porém, está sempre indignado com o que as pessoas descartam, mesmo ainda tendo alguma utilidade. Numa tarde de outono, Enriko se encanta com a linda melodia de um realejo tocado por Alicia, uma jovem encantadora apaixonada por seu macaquinho Romeu. Enriko e Alicia descobrem que através desta amizade, todos os sonhos podem se transformar em realidades “Como num toque de mágica!”.

Ficha técnica:

Elenco: Daniela Helena Calça (Alicia e Boneca)

Fausto Henrique de Oliveira (palhaço Gari/ Músico)

Duração: 15’

Gênero: Comédia Romântica

Classificação: livre

Instagram: @ciacorpomagico

Cia Diálogos Acrobáticos (espetáculo: Ser…Tão )

Integrantes:

Michelli do Carmo Rebulho – artista circense

Jeisel Bomfim Cerminaro – artista circense

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*