Brasil, Editorias, Notícias

Com recorde de mortes, governo de SP avalia fase vermelha em todo o Estado

Com recorde de mortes, governo de SP avalia fase vermelha em todo o Estado
São Paulo também bateu recorde nesta terça-feira ao somar 468 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas. Foto: Alexandre Brum/Estadão Conteúdo

O governo de São Paulo avalia a possibilidade de colocar todo o Estado na fase vermelha, mas com escolas abertas. As novas diretrizes serão anunciadas nesta quarta-feira (3).

Entre as ações propostas estão a manutenção de todo o Estado na fase mais restritiva do Plano São Paulo por 14 dias e um “toque de restrição” com início mais cedo, às 20h ou às 21h.

O governo de São Paulo se reuniu na tarde desta terça-feira (2) com prefeitos dos municípios para discutir a adoção de medidas mais restritivas em todo o Estado para conter a covid-19.

Atualmente, seis das 17 regiões do Estado estão classificadas na fase vermelha, e o toque de restrição vai das 23h às 5h.

Segundo o governo, os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) têm taxas de ocupação de 75,5% na Grande São Paulo e 74,3% no Estado. O número de pacientes internados é de 16.635, sendo 9.225 em enfermaria e 7 410 em unidades de terapia intensiva.

Entre os grandes hospitais particulares, pelo menos quatro (Einstein, Oswaldo Cruz, Beneficência Portuguesa e São Camilo) informaram que atingiram nos últimos dias 100% de ocupação de UTI para internados com covid-19.

RECORDE

O Brasil registrou recorde do número de mortes em 24 horas desde o início da pandemia, com 1.726 novos óbitos nesta terça-feira, segundo o consórcio de veículos de imprensa. A média móvel de mortes pela doença também bateu recorde ao somar 1.274 óbitos. A sequência de balanços altos ocorre no momento em que o país enfrenta o pico da crise causada pelo coronavírus.

Segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa formado por EstadãoG1O GloboExtraFolha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, o número de casos confirmados chegou a 10,647 milhões, dos quais 58.237 contabilizados nas últimas 24 horas. O balanço mais recente foi divulgado às 20h.

A média móvel de mortes – que registra as ocorrências dos últimos sete dias e elimina distorções entre o número alto de meio de semana e o baixo de fim de semana – bateu recorde pelo quarto dia seguido. São mais de 40 dias com média acima da marca de mil vítimas.

Estado mais afetado pelo vírus em números absolutos, São Paulo também bateu recorde nesta terça-feira ao somar 468 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas. Com isso, o Estado chegou a 60 014 óbitos e 2,055 milhões de casos confirmados.

um comentário

  1. jose carlos dos santos alves

    Infelizmente a situação só piora! Saindo do verão, passagem muito rápida pelo outono, logo estaremos no inverno. Nesse sentido o aumento de doenças respiratórias, somadas as gripes e resfriados, devem agravar ainda mais a situação e ajudar a baixar a imunidade das pessoas. HN1, aedes, chicogunya, covid 19, estamos a deriva? O presidente quer sequestrar as vacinas que os prefeitos e governadores assinaram a intenção de comprar, veta a possibilidade de aquisição, E ai Congresso Nacional Senadores, Deputados, vamos dar um basta neste B….A melhor saída por enquanto é proteger-se!!! Higienização das mãos e alcool gel com distanciamento seguro, se não for necessario sair, fique em casa.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*