Minha Cidade, São Bernardo do Campo, Sua região

Com participação do prefeito, operação ‘Cobertor que Salva’ intensifica abordagens

Ação tem como objetivo evitar mortes por hipotermia entre a população em situação de rua. Foto: Omar Matsumoto/PMSBCCom termômetros marcando 15ºC, a equipe da Prefeitura de São Bernardo realizou na noite de ontem (14), nova ação de abordagem para oferta de serviços de acolhimento a moradores de rua, dentro da operação “Cobertor que Salva”, lançada no início do mês. A ação contou com grupo de agentes que atuam na assistência social, sendo reforçada com presença do prefeito Orlando Morando (PSDB) e do secretário de Desenvolvimento Social e Cidadania, Mauricio Soares.

A operação tem como objetivo evitar mortes por hipotermia entre população em situação de vulnerabilidade. Para isso, o programa está ampliando o número de vagas no abrigo, e outros espaços emergenciais, de 150 para 250. Os locais de acolhimento também preveem atendimento social e de saúde aos assistidos. Na edição de ontem, os assistentes sociais percorreram pontos considerados críticos, como avenida Faria Lima, no Centro, e no Rudge Ramos. Diariamente, o grupo consegue cooptar, em média, dez pessoas ao abrigo municipal. As abordagens acontecem entre as 17h e as 23 horas.

“Viemos acompanhar mais uma operação ‘Cobertor que Salva’, para que possamos evitar que as pessoas fiquem ao relento e eventualmente percam a vida. Vim acompanhar para saber as dificuldades que os assistentes enfrentam e a realidade dos moradores de rua. As equipes prestam solidariedade, além de toda a assistência que esses moradores de rua necessitam”, disse.

Durante uma das paradas, Morando abordou Isaías, 27 anos, que expressou sua vontade de buscar um abrigo e recomeçar sua história. O prefeito aproveitou para apresentar o programa “Emprego Cidadão”, instituído com o objetivo de inserir o público em vulnerabilidade social à carreira profissional por meio de parcerias com empresas da cidade.

Abordagens

Neste ano, a ampliação das abordagens nas ruas da cidade será coordenada pela Sedesc, com envolvimento das pastas de Serviços Urbanos e Saúde, além da Guarda Civil Municipal (GCM), Fundação Criança e do Fundo Social de Solidariedade (FSS), por meio da Campanha do Agasalho que vai coletar roupas e cobertores para distribuição entre famílias cadastradas na rede de assistência social da cidade, além dos próprios abrigos. A ação também disponibilizará canal direto com a população, por meio do número 153 da GCM.

O “Cobertor que Salva” será baseado no mapeamento da população de rua realizado pela Sedesc, que apontou 496 sem teto na cidade. “As pessoas que moram na rua são os mais frágeis e, por isso, precisam de mais atenção do poder público. São pessoas que já se despediram de ideais e para quem a sociedade, infelizmente, olha com desprezo. Esse programa quer dar um olhar especial a estas pessoas”, disse Soares.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*