Economia, Notícias

Com mais dias úteis, venda de veículos novos cresce 10,1% em setembro, diz Fenabrave

Com mais dias úteis, venda de veículos novos cresce 10,1% em setembro, diz FenabraveO mercado de veículos novos cresceu 10,1% em setembro ante igual mês do ano passado, informou ontem (2) a Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Foram emplacadas 234,8 mil unidades no mês passa­do, em soma que considera segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. Porém, se comparado a agosto, o volume representa queda de 3,3%.

As variações foram influen­ciadas, principalmente, pela di­ferença de dias úteis. Setembro teve dois dias úteis a mais que igual mês de 2018, mas um dia a menos do que em agosto.

Na comparação pela média diária, que busca tirar esse efeito, o mercado ficou praticamente es­tável na comparação entre o mês passado e setembro de 2018. Em relação a agosto, houve alta de 1,2%.

“O mercado segue estável, mas ainda em clima de espera, principalmente, por conta da reali­zação das reformas necessárias, como notamos nos últimos meses”, disse o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior.

No acumulado do ano até setembro, o setor registrou 2,03 milhões de emplacamentos, ex­pansão de 9,9% em relação a igual período do ano passado.

Assumpção reforçou a participação das vendas diretas no desempenho. “De janeiro a setembro, as vendas diretas repre­sentaram 45,24% dos em­placamentos de carros e comer­ciais leves, ante 42,13% no mesmo período de 2018. O varejo cresceu 2,9%, enquanto as vendas diretas avançaram 16,77%”, afirmou.

CAMINHÕES

As vendas de caminhões mantiveram o ritmo de recuperação observado ao longo do ano e alcançaram 74.747 unidades no acumulado de janeiro a setembro, , o que representa aumento de 40,65% sobre o volume registrado no mesmo período de 2018.

Para Sérgio Zonta, vice-presidente da Fenabrave para o segmento de Caminhões, Ônibus e Implementos Rodoviários, outros aspectos além do agronegócio estão começando a influenciar, positivamente, o mercado.

“Para os modelos pesados e extrapesados, é o agronegócio que está puxando as vendas para cima. Porém, começamos a observar a retomada das atividades da indústria de papel e celulose e da construção civil, além do aumento de frotas próprias em algumas empresas e da renovação de frota das transportadoras”, comentou Zonta, acrescentando que a maior disponibilidade de crédito por parte dos bancos privados e, também, dos bancos das montadoras tem motivado a retomada dos volumes de vendas.

Em setembro, foram vendidos 9,3 mil caminhões, com 38,76% de crescimento sobre igual mês do ano passado. Na comparação com agosto, a retração foi de quase 3%, por conta de menos dias úteis para emplacamento em setembro.

Zonta ressaltou que os caminhões semileves, usados para o transporte de itens como alimentos e produtos têxteis, também entraram em curva ascendente, impulsionados pela legislação de circulação urbana, que restringe a mobilidade de caminhões maiores nos Centros das cidades.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*