Editorias, Notícias, Veículos

Com lançamento do Tiggo 3X Turbo, Chery mira no segmento de SUVs compactos

Com lançamento do Tiggo 3X Turbo, Chery mira no segmento de SUVs compactos
Novo SUV adota estética inspirada nos movimentos do kung fu, arte marcial chinesa caracterizada pela harmonia en­tre força e suavidade. Foto: Fabio Gonzalez

LUIZ HOMBERTO MONTEIRO PEREIRA
AutoMotrix

A Jeep lidera com o Renega­de, mas a Volkswagen disputa em duas frentes com T-Cross e Nivus, a General Motors investe no Tracker, a Nissan aposta no renovado Kicks, a Hyundai vai de Creta e a Renault ataca de Duster e Captur, enquanto a Fiat prepara a chegada do Pulse. Os utilitários esportivos compactos formam o segmento que mais cresce e também o que concentra a maioria das novidades no mercado automotivo brasileiro – os principais concorrentes foram lançados ou renovados recentemente. Distante das primeiras colocações desse ranking, a Caoa Chery briga na base do segmento com o aventureiro compacto Tiggo 2, remo­delado em março de 2018, e no topo com o Tiggo 5X, lançado em dezembro de 2018. Agora, a marca criada em 2017 resolveu tentar atingir a “arena principal” da batalha dos SUVs compactos. Posicionado entre o Tiggo 2 e o Tiggo 5X, o novo Tiggo 3X Turbo é produzido na cidade paulista de Jacareí e já está disponível na rede de concessionárias.

Com 4,20 metros de comprimento, 1,76 m de largura, 1,57 m de altura e 2,55 m de distância de entre-eixos, o Tiggo 3X Turbo tem porte bastante similar ao do T-Cross, já que iguala o comprimento e a altura do SUV da VW, é um centímetro mais es­treito e tem 10 cm a menos de entre-eixos. Desenvolvido sobre a mesma plataforma do Tiggo 2 e lançado na China em outubro do ano passado, o Tiggo 3X Turbo poderia ter sido apresentado como nova geração do Tiggo 2, como ocorreu no mercado chinês. Todavia, como o Tiggo 2 conti­nua­rá a ser fabricado no Brasil, a opção foi posicionar o novo mo­delo por aqui em um patamar acima, com melhor nível equipamentos e maior valor agregado.

O Tiggo 3X Turbo será comercializado no Brasil em duas versões, a básica Plus e a top de linha Pro. Segundo os desig­ners chineses, o novo SUV adota estética inspirada nos movimentos do kung fu, arte marcial chinesa caracterizada pela harmonia en­tre força e suavidade.
Na face frontal, a grade imprime percepção de movimento e profundidade, tanto no desenho Matrix da versão Plus quanto no Diamond da Pro. As luzes diurnas superiores em LED ficam isoladas dos faróis (de LED na versão Pro e halógenos na Plus), com luzes repetidoras tradicionais. Nas la­terais da configuração Pro, há moldura croma­da na linha dos vidros e inscrição “Tiggo” no arremate do vidro tra­seiro. Atrás, uma barra em preto liga as lanternas. As rodas diamantadas têm desenhos diferentes para cada versão.

No interior, o destaque é o vistoso multimídia de nove polegadas colorido e sensível ao to­que, compatível com Apple CarPlay e Android Auto. A versão Pro traz cluster digital em tela LCD de sete polegadas colorida, enquanto a Plus adota painel mais convencional, com computador de bordo em tela digital monocromática de 3,5 polegadas.

Os bancos combinam tecido e revestimento sintético que si­mula couro na versão Plus, enquanto os da Pro são totalmente envolvidos pelo “couro sintéti­co”. Os bancos traseiros são re­­ba­tíveis e bipartidos (60/40). O volante é multifuncional, tem ajus­te de altura, design esportivo, base reta e costuras aparentes.

As duas configurações do Tig­­go 3X Turbo são movidas por con­junto motor-câmbio iné­di­to no portfólio da Caoa Chery, composto por motor 1.0 Turbo Flex e câmbio CVT de nove velocidades simuladas, como modos de condução Eco e Sport. Tem torque de 17,1 kgfm com etanol e de 16,8 kgfm a gasolina, a 2 mil rpm – evolução de 15% em relação aos 14,9 kgfm (2.700 giros) do 1.5 16V do Tiggo 2, quando abastecido com etanol. A potência máxima no Tiggo 3X é 102 ca­­valos a 5 mil rpm com etanol e 98 cv com gasolina, na mesma rotação – 11% abaixo dos 115 cv a 6 mil rpm com etanol do Tiggo 2.

O novo Caoa Chery traz de série direção elétrica, assistente de partida em rampa, alerta de frenagem de emergência, controle de tração e estabilidade, freio a disco nas quatro rodas com ABS, distribuição eletrônica de frenagem (EBD) e assistente de frenagem (BAS). Airbags ape­nas frontais, indicador indivi­dual de pressão e temperatura de cada pneu e sistema Isofix para fixação de cadeirinhas de criança complementam a segurança.

Na versão Pro, a lista de itens de série do Tiggo 3X Turbo agrega assistente de descida (HDC) e comando de climatização a dis­tância (CCD), equipamentos mais comuns em veículos de segmen­tos superiores. A top de linha traz ainda acendimento au­tomático de faróis, chave pre­sen­cial por aproximação e botão de partida, luz de boas-vindas nas portas dianteiras, faróis em LED e espe­lhos com rebatimento elétrico.

O preço de lançamento do Tiggo 3X é R$ 94.990 na versão Plus e R$ 99.990 na Pro. A garantia é de cinco anos para motor/câmbio e de três para o veículo.

A Caoa Chery ocupa atualmente a 11ª posição no ran­king das montadoras nacionais e pro­duz no Brasil os SUVs Tiggo 5X, Tiggo 7 e Tiggo 8 na fábrica de Anápolis (GO), e os modelos Tiggo 2, Arrizo 5 e Arrizo 6 em Jacareí (SP), além de importar da China o elétrico Arrizo 5e. A marca tem 115 revendas no país, mas a previsão é chegar a 150 até o final do ano. Para viabilizar a expansão de 30% na rede em sete meses, ter um produto forte no segmento que mais cresce é estratégico.

 

Achados e perdidos

O circuito de quase 200 km criado pela Caoa Chery pa­ra a apresentação do Tiggo 3X Turbo, com ida e volta do bairro paulistano de Santana à cidade de Mairiporã, incluiu quantidade singular de ladeiras urbanas e estradinha estreita e sinuosa, também bastante íngreme. Esse trajeto serviu bem ao propósito de explicitar um dos pontos for­tes do novo SUV, o torque do motor. Disponível em praticamente todas as faixas de rotação, esse torque de 17,1 kgfm com etanol e de 16,8 kgfm a gasolina torna a condução do Tiggo 3X Turbo instigante pelas respostas rápidas oferecidas.

O câmbio CVT de nove velocidades faz elegantemente as trocas virtuais de marchas e proporciona condução suave. No modo Sport, como era de se esperar, entrega respostas ainda mais rápidas. No asfalto, o SUV da Caoa Chery mostra boa dirigibilidade. A direção elétrica é bem ajustada e facilita as manobras lentas, tornando-se progressivamente mais rígida conforme a velocidade evolui nas estradas. Acima dos 100 km/h, a potência limitada começa a se fazer notar e as retomadas não são tão “espertas”. Porém, na maioria das situações cotidianas, o bom torque permite ao Tiggo 3X Turbo fazer bonito.

Perder-se durante um passeio não é algo recomendável, mas pode oferecer oportunida­des interessantes. No caso, um desvio de rota imprevisto, causado por uma informação dúbia do Waze em um local ermo da Serra da Cantareira, acabou levando a uma trilha um tanto inóspita no alto de uma pirambeira – um caminho lamacento cuja volta tornou recomendável a utilização do assistente de descida, que é de série desde a versão de entrada do Tiggo 3X Turbo. Efetivo, o sistema aumenta a segurança e viabiliza manobras precisas em baixa velocidade em descidas íngremes. O mode­lo circulou com desenvoltura em trilhas leves, sem que o conjunto suspensivo desse sinais de fragilidade. No final do teste de apresentação, a impressão é que o Tiggo 3X Turbo parece ter “bala na agulha” para brigar no segmento de SUVs compactos.

A BORDO

No interior do Tiggo 3X Turbo Pro, a evolução em relação ao Tiggo 2 é evidente. O ambiente tem aspecto contemporâneo e al­guns acabamentos cumprem a fun­ção de agregar requinte, como os detalhes cromados, em black piano ou na cor prata. Os bancos são ergonômicos e confortáveis, o do motorista tem ajuste de altura e o console central oferece apoio para o braço. No banco traseiro, o espaço para as pernas não é tão generoso. O porta-malas de 420 litros não tem chapas aparentes – é revestido em carpete, com molduras da tampa em plástico.

O SUV disponibiliza travamento elétrico das portas, vidros elétricos com descida contínua, ajuste de altura dos faróis e entrada USB (há apenas uma no carro todo). O ar-condicionado eletrônico exibe suas configurações na central multimídia. Há sensor de estacionamento traseiro nas duas versões, mas a câmera traseira com guias para manobras é exclusiva da top de linha. O isolamento acústico é notavelmente superior ao do Tiggo 2 e o novo SUV oferece menores níveis de ruído e de vibração.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*