Esportes, Futebol

Com janela fechada, Neymar fica no PSG e terá de reconquistar o clube

Com janela fechada, Neymar fica no PSG e terá de reconquistar o clube
Neymar chega ao hotel onde está concentrada a seleção brasileira, em Miami. Foto: Reprodução/CBF

A maior novela recente do futebol mundial teve o capítulo final na noite desta segunda-feira (2). O encerramento da janela de transferências na Europa confirmou a falta de acordo de Paris Saint-Germain pela venda do atacante Neymar. O jogador sondado pela Juventus, procurado pelo Real Madrid e alvo de investidas insistentes do Barcelona acabou por ficar mesmo no clube francês.

A resposta definitiva sobre a situação do jogador veio às 19h (de Brasília) desta segunda, quando já era meia-noite na Europa. A janela de negociações chegou ao fim sem ter uma novidade sobre o principal ator das movimentações no mercado europeu. Neymar terá de adiar o desejo de voltar ao clube catalão e trabalhar duro para reconquistar o apoio em Paris.

A continuidade de Neymar no PSG, agora oficializada pelo fim da janela, já havia ganhado força nos últimos dias. Primeiramente, o jogador comunicou ao clube que iria permanecer. Na mesma ocasião, o Barcelona demonstrou nos bastidores a vontade de não prosseguir com as negociações.

O atacante se apresentou à seleção brasileira nesta segunda-feira, nos Estados Unidos, para disputar amistosos contra Colômbia e Peru e voltar, finalmente, a disputar uma partida depois de quase três meses sem entrar em campo. Nesse período Neymar lutou contra lesão no tornozelo, acusação de estupro e denúncia de crime virtual, fora a angústia pela longa indefinição sobre o futuro.

Neymar está de volta à seleção depois de ter ficado fora da última Copa América, realizada no Brasil, por causa de entorse no tornozelo sofrida em amistoso do Brasil contra o Catar, em Brasília, às vésperas do início do torneio continental. O atacante foi incluído por Tite na lista de convocados no último dia 16 de agosto para os amistosos contra Colômbia e Peru, nos Estados Unidos.

A alta quantia exigida pelo PSG frustrou o plano do jogador de voltar à Espanha. Segundo o jornal francês Le Parisien, o presidente do clube, Nasser Al-Khelaifi, só queria negociá-lo por valor ao redor de R$ 1,3 bilhão. A exigência frustrou inclusive as ofertas mais ousadas do Barcelona, como as ofertas financeiras altas e acompanhadas por trocas de até três jogadores.

Real Madrid e Juventus chegaram a sonhar com Neymar, como publicou a imprensa europeia, mas a cada semana de especulações e de falta de desfecho, quem mais se prejudicou foi o próprio jogador. O treinador do PSG, o alemão Thomas Tuchel, não relacionou o camisa 10 para nenhuma partida do time até agora, enquanto a torcida francesa se revoltava com o brasileiro.

A vontade explícita de deixar Paris e posturas como o retorno atrasado das férias no Brasil motivaram reações negativas do público parisiense. Em uma das partidas do time pelo campeonato local, contra o Nimes, a torcida levou faixas agressivas contra o camisa 10. “Neymar, cai fora”, dizia uma das mensagens, acompanhada também de cânticos ofensivos.

O presidente do clube, no entanto, prometeu tentar conversar com os líderes da torcida e buscar amenizar o ambiente negativo. Para o jogador, o trabalho principal será para recuperar a concentração depois de seguidas semanas de especulação sobre qual seria o seu destino. Neymar vai precisar também resgatar a credibilidade após ter se mostrado nos últimos meses pouco focado no esporte e muito mais dedicado aos negócios.

Após ser cotado como principal personagem desta janela de transferências, Neymar viu outros nomes se despontarem como os mais caros deste ciclo de negociações. O nome mais valioso foi o atacante João Félix, de 19 anos, que deixou o Benfica e reforçou o Atlético de Madrid por R$ 615 milhões. Logo depois, a contratação mais cara foi feita pelo Barcelona, que pagou R$ 505 milhões por Griezmann.

O atacante chegou ao PSG no meio de 2017, quando assinou contrato válido até 2022, mas manifestou o interesse em se transferir ao Barcelona, onde atuou por quatro temporadas e fez parceria de sucesso com Messi e Suárez.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*