Diadema, Minha Cidade, Sua região

Com foco em inovação, prefeitura lança plano ‘Diadema, Cidade Inteligente’

Com foco em inovação, prefeitura lança plano ‘Diadema, Cidade Inteligente’
Palestra focou nas diretrizes para o desenvolvimento de Diadema. Foto: Adriana Horvath/PMD

Nesta terça-feira (22) foi realizado no auditório do Quarteirão da Saúde o lançamento do plano “Diadema, Cidade Inteligente”, que marca o início de diversas ações de inovação no município. O evento contou com a presença do expert em Cidades Inteligentes, Renato de Castro; da secretária de Comunicação, Carla Dualib; do secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Laércio Soares; da secretária de Assistência Social e Cidadania, Caroline Rocha, além de secretários de outras pastas e representantes de instituições e universidades da Grande São Paulo.

“Uma etapa fundamental para uma Cidade Inteligente é a criação de um ambiente favorável para receber todas essas inovações. A Secretaria de Comunicação tem trabalhado para entender e construir uma estratégia relevante com esse objetivo. A participação de Diadema no evento da ONU deixou claro que existem muitas oportunidades e que a cidade tem muito a ganhar com este tema”, afirmou Carla Dualib.

Laércio Soares ressaltou a importância dessa discussão. “Faz um tempo que estamos nos reunindo para debater este assunto. Hoje é uma grande oportunidade para entender o contexto deste novo cenário”, pontuou.

A cerimônia contou com uma palestra de Renato de Castro, que propôs discussão sobre Indústria 4.0, Cidades Inteligentes, Internet das Coisas, Big Data e Inteligência Artificial. Renato de Castro destacou cases de cidades que englobam segurança, educação, mobilidade, entre outros, além de ressaltar a importância da cocriação, participação do público-privado, mas, sobretudo o engajamento da população no desenvolvimento de Cidades.

Nova teoria

Renato de Castro deu diretrizes para o desenvolvimento de Diadema e região. “Comecei a desenvolver uma nova teoria que tenho chamado de Smart­Up. É a união de dois conceitos, o das Cidades Inteligentes com os da startups. Na prática, é repensar as cidades seguindo quatro etapas fundamentadas nos princípios de empreendedorismo e inovação dos gestores de startups. São elas: focar no DNA da cidade; cultivar a simplicidade; buscar parceiros e fomentar as parcerias público-privado com pessoas, as PPPPs”, disse. “A tecnologia vai ser cada vez mais importante, não mais como fim, mas como meio, como ferramenta”, completou o especialista.

Após a palestra, houve um painel de discussões com o tema “A importância dos atores regionais no desenvolvimento de Cidades Inteligentes”, que contou com a participação da coordenadora do Smart Campus Facens, Regiane Relva Romano, do analista de Projetos Internacionais do Departamento de Relações Internacionais da Facens Caio Cesar Souza, com a mediação do expert em Cidades Inteligentes, Renato Castro.

A professora Regiane Relva Romano falou sobre o projeto Smart Campus Facens. “O objetivo é transformar o campus universitário em uma minicidade inteligente”, pontuou.

Ao final foram entregues cartas de intenção para os representantes das universidades presentes. O documento reconhece a colaboração das instituições como fundamental para o desenvolvimento e elaboração do plano de Cidade Inteligente.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*