Minha Cidade, São Bernardo do Campo, Sua região

Com aumento de internações por coronavírus, Prefeitura de São Bernardo reduz flexibilização

Orlando Morando pediu apoio da população para evitar aglomerações e utilizar a máscara corretamente, a fim de evitar aumento das restrições. Foto: Gabriel Inamine/PMSBC
Orlando Morando pediu apoio da população para evitar aglomerações e utilizar a máscara corretamente, a fim de evitar aumento das restrições. Foto: Gabriel Inamine/PMSBC

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), anunciou na noite desta sexta-feira (27) a redução da flexibilização da quarentena devido ao aumento de casos de coronavírus nos últimos dias. As novas regras passarão a valer a partir de segunda-feira (30), sem prazo determinado para suspensão, e preveem redução no horário de atendimento e capacidade, além de proibição de apresentações de música ao vivo, medida semelhante à anunciada por Santo André no último dia 25. Os novos protocolos constam no Diário Oficial do município de hoje (28).

Segundo a prefeitura, o aumento no número de ocupação nos leitos de UTI do município -quase o dobro de utilização no comparativo com o dia 1º deste mês, que estava em 38% – foi o fator que levou ao endurecimento das regras de flexibilização na cidade, que está na Fase Verde do Plano SP desde 9 de outubro.

“A população não está colabo­rando. Estava indo bem, mas todo mundo relaxou. O vírus continua entre a gente. Estava estabilizado? Estava. Porém, as pessoas não estão mais usando a máscara e há aglomerações, com isso houve aumento das internações. As notícias não são boas, ontem (quinta-feira) batemos em 69% de ocupação de UTIs (unidade de terapia intensiva), mesmo índice que tivemos no pico da pandemia”, destacou Morando.

Nesta sexta-feira, segundo o prefeito, a ocupação de leitos da UTI estava em 56% e de enfermaria, em 52%. O município conta com 387 leitos para tratamento de pacientes de coronavírus, sendo 111 de UTI e 276 de enfermaria.

O prefeito informou que a cidade registrava, até esta sexta-feira, 33.790 casos de coronavírus e 1.036 mortes, sendo que cinco nas últimas 24 horas. “Chegamos a ficar três dias sem ter mortes em São Bernardo”, pontuou.

MUDANÇAS

Dentre as novas regras estão a diminuição de atendimento em bares e restaurantes de 60% para 50% e funcionamento, de 23h para 22h. Nesse setor também está proibida a exibição de música ao vivo.
Outros estabelecimentos, como buffets, shopping e comércio em geral, também poderão receber dentro de espaços 50% da capacidade e horário máximo de funcionamento até às 22h.

As academias terão o atendimento reduzido para 40% do público e a seis horas de funcionamento, em período determinado por cada proprietário. Estão proibidas as práticas esportivas de contato e aulas de dança em pares, e vedado o uso de vestiário e chuveiros, além da utilização de piscinas.

Com salões de beleza e estabelecimentos de estética em geral, redução para 50% de capacidade e funcionamento limitado até às 22h.

PROIBIÇÃO

Cinemas e teatros voltam a ter suas atividades suspensas, devendo ficar fechadas neste período, assim como as atividades de games, jogos eletrônicos e infantis de qualquer natureza neste período, devendo referidos locais perma­necerem fechados.

Demais atividades que vão ficar fechadas são as pistas de boliche, os serviços de manobrista (valet) neste período em qualquer espécie de estabelecimento, público e/ou privado, além da execução de música ao vivo de qualquer espécie neste período, inclusive DJs, estando vedado a utilização de pistas de dança para tal fim.

O prefeito fez apelo para que a população volte a respeitar o isolamento. “Vamos seguir com trabalho prioritário no cuidado de todos. Esse aumento no número de casos é preocupante. Intensificamos essas ações de fiscalização e res­trição aa fim de impedirmos mais avanço, para proteger as pessoas, sem impactos para atividade comercial. Quero muito pedir a ajuda. Contamos com a colaboração de todos para que não ocorra relaxamento e seguiremos monitorando de perto, caso necessite de mais restrições”, destacou Morando.

ESTADO

O Centro Estadual de Contingência Covid-19 já analisa retomar restrições ao lazer em algumas regiões de São Paulo, diante da alta de casos da covid-19. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, a última vez que a capital ultrapassou a média mensal de 60% na ocupação dos leitos de enfermaria foi em maio, quando atingiu 65%. Na semana passada, o Estado recomendou o adiamento de cirurgias eletivas (não urgentes) para desafogar os hospitais.

O Centro de Contingência não detalhou quais segmentos do lazer – como parques, bares ou cinemas – podem ser incluídos em eventuais novas restrições. A reclassificação oficial do Plano São Paulo será anunciada na segunda-feira pelo governador João Doria (PSDB).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*