Economia, Notícias

Com agravamento da pandemia, VW vai suspender produção por 12 dias no país

Com agravamento da pandemia, VW vai suspender produção por 12 dias no país
Fábrica Anchieta é uma das quatro da Volks no Brasil e produz Polo, Virtus, Nivus e Saveiro. Foto: Divulgação/VW

A Volkswagen vai suspen­der por 12 dias a produção em todas as suas fábricas no Brasil em razão do agravamento da pandemia de covid-19. Entre a próxima quarta-feira (24) e 4 de abril serão suspensas as atividades nas unidades de São Bernardo, Taubaté e São Carlos, no Estado de São Paulo, e de São Jo­sé dos Pinhais, no Paraná.

“Com o agravamento do nú­mero de casos da pandemia e o aumento da taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no país, a empresa adota esta medida (suspensão) a fim de preservar a saúde de seus empregados e familiares”, informou a Volks­wagen em comunicado.

Só serão mantidas as atividades essenciais. Os empre­gados das áreas administrativas farão trabalho remoto.

A medida foi tomada em conjunto com os sindicatos, entre os quais o dos Metalúrgicos do ABC – que, desde o início da semana, reivindica junto à Associação Nacional dos Fa­bri­cantes de Veículos Automotores (Anfavea) a pa­ralisação das fábricas devido ao avanço da pandemia, que já matou mais de 5 mil pessoas na região e mais de 290 mil no país.

A última reunião com a Anfavea ocorreu ontem (19) e, se­gundo o presidente do sindicato, Wagner Santana, o Wagnão, não houve acordo para a para­lisação imediata de todas as empresas. Porém, a entidade que representa as montadoras informou que vai orientar seus associados a abrir negociação com os sindicatos que representam os trabalhadores de cada planta produtiva, para discutir a situação e a possibi­lidade de parada caso a caso.

O sindicato informou ain­da que continua em contato com as demais montadoras de São Bernardo – Toyota, Mercedes-Benz e Scania – reivindicando a paralisação das atividades.

Wagnão relatou também que a Anfavea manifestou con­cor­dância em relação à reivindicação do sindicato de que as empresas do setor automotivo adquiram vacinas e insumos para doação aos Sistema Único de Saúde (SUS).

“Ontem (quinta), conversei com o prefeito de Santo André e presidente do Consórcio Intermunicipal ABC, Paulo Serra (PSDB), e acertamos uma reunião com a Anfavea para a semana que vem a fim de acertar os deta­lhes”, explicou o dirigente.

GM

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano, Aparecido Ignácio da Silva, o Cidão, disse que encaminhou carta à direção da General Motors na última quinta-feira solicitando a concessão de licença remunerada aos funcionários de 24 de março a 4 de abril.

Segundo o dirigente, a GM se dispôs a adotar a medida. A fábrica de Gravataí (RS) já está parada e a de São José dos Campos (SP) opera parcialmente por causa da falta de componentes para a produção, situação que deve se prorrogar por dois meses ou mais.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*