Minha Cidade, Regional, Sua região

Com 388 óbitos por covid-19 em agosto, ABC tem mês menos letal desde novembro

Com 388 óbitos por covid-19 em agosto, ABC tem mês menos letal desde novembro
Sete municípios também registram o menor número de casos desde outubro de 2020, segundo painel da Fundação Seade

O ABC deve registrar nes­te mês o menor número de mor­tes por covid-19 desde novembro do ano passado, em uma curva descendente de óbitos, casos e internações atribuída ao avanço da va­cinação contra a doença.

Desde o dia 1º até esta segunda-feira (30) foram confir­mados 388 óbi­tos pelo no­vo coronavírus. Faltando um dia para o en­cer­ramento de agosto, o to­tal é 35,2% in­ferior ao apurado em julho (599). Trata-se da quarta queda mensal consecu­tiva e do menor número de vidas per­di­das desde novembro (185).

Os dados integram o pai­nel epidemiológico da Funda­ção Sis­tema Estadual de Aná­lise de Dados (Sea­de), com ba­­­­­­­se em informações da Se­cre­­­­taria de Estado da Saúde.

Assim como registrou queda no total de óbitos, os sete municípios também assistem à re­dução no número de casos. Até esta segunda-feira, agosto re­gistrou 9.291 diag­­nósticos positivos, com re­cuo de 36,6% ante o apurado em ju­lho (14.647) e o menor to­tal desde outu­bro do ano passado (7.497).

Em comparação ao pico de mortes (registrado em abril) e de casos (em março) de covid-19 no ABC, os atuais patamares de óbi­tos e diagnós­ticos positi­vos de covid-19 são, respecti­va­men­te, 73,8% e 60,7% infe­rio­­­res (veja gráfico acima).

Com os dados desta segunda-feira, a região chega a 10.392 vidas perdidas e 226.555 casos de co­vid-19 desde o início da pandemia. Do total de óbitos, 6.939 (66,7%) foram re­gistrados neste ano.

Os indicadores vêm cain­do à medida que avança a vacinação. Segundo as prefeituras, foram aplicados 2,956 mi­lhões de do­ses nos sete municípios, das quais 1,976 milhão a título de pri­meira dose, o que permitiu à região concluir a primei­ra fase da vacinação da população adulta. Ou­tros 979,8 mil moradores ti­­ve­ram o esquema vacinal con­cluí­do, seja com a aplicação da se­gunda dose, seja com a dose única.

OCUPAÇÃO

O avanço da vacinação tem contribuído também pa­ra redu­zir a pressão sobre os sistemas público e privado de Saúde. Ain­da segundo a Fundação Seade, o ABC tinha 24,6% de ocupação em leitos de Uni­­dade de Terapia Intensiva (UTI) públicos no último domingo, ligeira­men­te superior ao apurado se­te dias antes (23,4%). Em en­­fermaria, a taxa é de 19,7%.

Em Ribeirão Pires, por exem­plo, há um único paciente internado na rede municipal da cidade, no Complexo Hospita­lar da Santa Luzia. Segundo a prefeitura, a ocupação de leitos de UTI exclusivos para co­vid-19 na rede local é de 20%. O município é o primeiro da região metropolitana a finalizar o ca­lendário de vacinação do Programa Nacional Imunização. No domingo, a cidade deu início à imunização dos adolescentes com 12 anos ou mais.

São Bernardo superou no domingo a marca de 900 mil doses aplicadas. O número equivale a 94% da população adulta imunizada com ao menos a primeira dose e 48% com o ciclo vacinal completo. No momento, a ocupação dos leitos de UTI na rede municipal está em 13%.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*