Copa do Brasil, Esportes

Com 1ª revisão do VAR, Palmeiras e Bahia empatam sem gols

Com 1ª revisão do VAR, Palmeiras e Bahia empatam
Willian sentiu a coxa esquerda e deixou o campo no início da segunda etapa. Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

O duelo entre Palmeiras e Bahia não teve gols ou fortes emoções. Porém, o jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil, disputado ontem (2) na Arena Fonte Nova, tornou-se histórico pela primeira revisão de um lance com o árbitro assistente de vídeo (VAR) em competições nacionais.

Aos 24 minutos do segundo tempo, Artur foi derrubado na área por Gregore. O árbitro Anderson Daronco marcou pê­nalti para o Palmeiras e expulsou o jogador do Bahia.

Daronco escutou a equipe de árbitros de vídeo, chefiada por Leandro Vuaden, e sina­lizou que revisaria o lance na TV à beira do campo. Quatro minutos e 44 segundos após a marcação, o árbitro manteve a penalidade, mas anulou a expulsão de Gregore e deu apenas cartão amarelo ao jogador.

No entanto, Bruno Henrique não converteu o pênalti e o Palmeiras ficou só com o empate. A comissão técnica de Luiz Felipe Scolari, que será apresentado hoje na Academia, esteve à beira do gramado em Salvador e implementou o estilo de jogo que agrada ao treinador, com um centroavante fixo na frente.

Escolhido para a função, Deyverson demonstrou vontade em campo e teve a chance de marcar de bicicleta nos primeiros minutos de jogo, mas a partida acabou em lágrimas para o camisa 16, que dei­xou o gramado consolado por Felipe Melo após expulsão no final por cotovelada em Mena.

FALTOU PONTARIA

O Palmeiras teve a chance de abrir o marcador e levar vantagem para o intervalo, mas não foi competente para concluir as finalizações com perfeição e viu o Bahia se aproveitar dos erros de saída de bola e pressionar.

No decorrer da primeira etapa, os mandantes conse­guiram acalmar os ânimos, colocar a bola no chão e controlar a partida. Zé Rafael cobrou falta colocada em direção ao ângulo e por pouco não abriu o placar na Fonte Nova. Minutos depois, Gilberto teve boa chance, mas mandou para longe da meta.

O Palmeiras voltou a campo sem alterações no segundo tempo, mas Willian sentiu a coxa esquerda nos primeiros minutos e o garoto Artur assumiu a posição. O Bahia cresceu, teve duas boas chances, mas também não converteu. A decisão da vaga ocorre no dia 16. Outro empate leva a definição aos pênaltis.

 

BAHIA 0 X 0 PALMEIRAS

Ár­bi­tro: Anderson Daronco (RS). Expulsão: Deyverson. Estádio: Arena Fonte Nova, em Salvador, ontem à noite.

BAHIA
Anderson; Bruno, Tiago, Lucas e Mena; Gregore, Elton, Vinícius (Régis) e Zé Rafael (Élber); Edigar Junio (Marco Antônio) e Gilberto. Técnico: Enderson Moreira.

PALMEIRAS
Weverton; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Moisés (Gustavo Scarpa); Willian (Artur), Dudu (Thiago Santos) e Deyverson. Técnico: Paulo Turra (interino).

 

Expulso, Deyverson chora e ganha apoio de Felipe Melo

O volante Felipe Melo saiu em defesa de Deyverson, que recebeu rara chance como titular e foi expulso nos minutos finais do jogo contra o Bahia por uma cotovelada no lateral Mena. Ao SporTV, o camisa 30 disse que consolou Deyverson na saída de campo e exaltou as qualidades do atleta, que vem sendo criticado pela torcida.

“Temos de dar moral ao Dey­verson, porque é um cara que as pessoas, principalmente os entendedores do futebol, têm de analisar pelo verdadeiro po­tencial. Ele luta muito pelo ti­me”, disse Melo.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*