Esportes, Seleção Brasileira

Clubes espanhóis decidem não liberar jogadores para seleções da América do Sul

Os clubes da primeira divisão do Campeonato Espanhol decidiram não liberar seus jogadores para as seleções sul-americanas na próxima Data Fifa, marcada para o início de setembro. A posição já havia sido antecipadamente respaldada pela LaLiga, que organiza a competição.

“Houve acordo por parte dos clubes para comunicar seus jogadores convocados por seleções da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) sobre a impossibilidade do deslocamento, enquanto se aguarda que seja resolvida a situação e a problemática atual”, indica comunicado divulgado pela liga espanhola após reunião entre as equipes afetadas.

A decisão envolve 25 jogadores de 13 equipes que integram a LaLiga, conta feita antes do anúncio das convocações de Equador e Venezuela. O Brasil encarará Chile, Argentina e Peru nos próximos dias.

Assim, o técnico Tite perde o zagueiro Éder Militão e o volante Casemiro, que defendem o Real Madrid, e o atacante Matheus Cunha, anunciado nesta semana pelo Atlético de Madrid.

O motivo de descontentamento dos clubes espanhóis foi o aumento, em setembro e outubro, de duas para três rodadas das Eliminatórias Sul-Americanas, por causa do adiamento de jogos em março passado provocado pela pandemia do novo coronavírus. Com isso, os atletas precisam de maior período de liberação para as seleções, de nove para 11 dias.

O Conselho da Fifa aprovou, em reunião realizada em 7 de agosto, o aumento da janela das datas reservadas para a competição qualificatória nos dois próximos meses, como forma de compensar os jogos adiados em março deste ano.

Para a LaLiga, a decisão afeta “de forma flagrante o calendário e a integridade” do Campeonato Espanhol, já que outras confederações, com a Uefa, não ampliaram o número de dias destinados às seleções, embora tenham aumentado a quantidade de jogos.

Segundo comunicado da entidade espanhola, “de forma unânime” foi aprovada a adoção de “medidas cautelares contra o órgão competente (a Conmebol), para proteger os direitos e interesses da competição e dos clubes afetados”. Ainda de acordo com a LaLiga, os clubes das duas primeiras divisões do Campeonato Espanhol se reunirão nos próximos dias para voltar a debater a situação.

Na quarta-feira, o presidente da Fifa, o suíço Gianni Infantino, indicou a liberação de jogadores para as seleções nacionais é um “assunto de extrema urgência e importância”.

Na Inglaterra, os clubes da Premier League também já indicaram que não cederão atletas, enquanto a Serie A, que organiza o Campeonato Italiano, já manifestou respaldo ao posicionamento das equipes, caso optem por não liberar integrantes do elenco.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*