Brasileirão, Esportes

Clássico na Vila é decisivo para Santos e Palmeiras

O Palmeiras visita o Santos hoje (29), às 19h30, na Vila Belmiro, pelo Brasileiro, cada vez mais perto do paraíso. Seis pontos à frente do vice-líder Flamengo, o alviverde sairá da Vila satisfeito com uma vitória ou um empate, que o deixará ainda mais perto do título nacional.

Pelo lado santista, um triunfo também mantém as remotas chances de erguer a taça e, principalmente, deixa a equipe da Vila com uma mão na vaga direta à Copa Libertadores, no G3. Os comandados do técnico Dorival Júnior somam 58 pontos.

A partida promete ser ainda mais acirrada graças à rivalidade recente entre os times. O jogo tem sido tratado como o clássico da moda. Tudo porque, desde o ano passado, sobretudo por causa da final da Copa do Brasil, a animosidade cresceu.

O clima começou a esquentar após o desentendimento entre o atacante santista Ricardo Oliveira, e o goleiro palmeirense Fernando Prass, que se recupera de lesão. Também houve provocações dos dois lados que foram, com o tempo, sendo amenizadas por Dorival Júnior e Cuca.

Além disso, o equilíbrio tem marcado o retrospecto. Os últimos três confrontos neste ano terminaram empatados. Na semifinal do Paulista, no entanto, o Santos eliminou o Palmeiras nos pênaltis.

Dorival disse esperar ótima partida do Santos. “Queremos fazer um grande jogo neste confronto fundamental para o Brasileiro. Contra o Grêmio fizemos uma boa partida, mas não fomos efetivos. Agora, temos de ser”, declarou o treinador.

Jejum

Apesar de favorito ao título, pesa contra o Palmeiras o jejum na Vila Belmiro, onde não vence há cinco anos. São oito derrotas e dois empates no período.

O último triunfo na Vila foi ocorreu 3 de abril de 2011, vitória por 1 a 0, com gol de Kléber, atualmente jogador do Coritiba.

“Não é só o Palmeiras. Poucas equipes vencem na Vila, no Allianz Parque, no Itaquerão. Times grandes são difíceis de vencer em casa. Temos uma nova chance. Se fizermos um jogo perfeito, temos chance”, disse Cuca.

“Um empate na Vila não é ruim, mas quem joga para empatar tem boa chance de perder. O Santos tem muita movimentação, joga em casa, os laterais se infiltram. Vamos enfrentar todas essas dificuldades”, finalizou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*